Leitura do momento: Ernesto Guevara, também conhecido como Che


Ernesto Guevara, também conhecido como Che
Paco Ignacio Taibo II
Expressão Popular
R$ 30
Em 728 páginas, o leitor pode esmiuçar a vida de Ernesto “Che” Guevara na mais completa e minuciosa biografia escrita sobre ele. O mexicano Paco Ignacio Taibo II pesquisou um vasto material – como diários, notas manuscritas, artigos, poemas, livros – e reconstruiu desde a infância de Che, na Argentina, passando por suas viagens na América do Sul e por seu encontro com Fidel Castro na Cidade do México.
Narra também sua participação junto aos revolucionários cubanos, que preparavam seu retorno a Cuba e a deflagração da luta armada contra a ditadura de Fulgencio Batista, até sua atuação em uma das colunas da guerrilha, essencial para a vitória da revolução. Paco também reconta a atuação de Che em cargos burocráticos em Cuba, em funções como ministro da Economia, por exemplo.
Conclui com um relato sobre seu retorno à atuação direta em lutas revolucionárias, a incursão no Congo e na Bolívia, local onde pretendia organizar, além do movimento guerrilheiro, uma coordenação latino-americana que articulasse os vários movimentos guerrilheiros do continente.
Quando se completam os 50 anos da Revolução Cubana, o livro é uma boa pedida para entender como a maleta de médico de Che virou fuzil, caneta, vários livros e muitas histórias que continuam a inspirar todos os que pensam e atuam por um mundo mais justo.

4 comentários:

Anônimo disse...

Será que Ernesto Che Guevara iria pactuar também com a mesma postura que a sua.
Utilização do público em benefício do privado;
Defesa de um governo que nivela a população por baixo, em vez de oferecer meios de ascensão social;

Ler tanto ele, admira tanto que deveria no mínimo atuar de forma parecida com a dele, que largou uma boa presença social, onde estaria vivendo muito bem, para ajudar outros povos a lutarem por seus direitos, e quando viu que em Cuba não iria conseguir isto, rompeu com Fidel e foi ajudar outros, ao contrário de sua pessoas, que se alia a setores e grupos que só buscam o poder e a permânencia custe o que custar.

Rosângela disse...

O negócio é se alir a Jesus Criso de Verdade. Se Jesus Cristo tivesse sido apresentao a Che, garanto que ele teria vencido, pois Che tinha boas intenções mas as nossas armas não são carnais!

Umm abraço, amado e linda postagem. Visite meu blog:
www.serjumentinho.blogspot.com

O Senhor Jesus abençoe você.

Rosângela disse...

Errata:

O Negócio é se aliar a Jesus Cristo de Verdade

Fabiano Seixas disse...

"A liberdade do projeto humano não é todavia uma liberdade concreta, porque as possibilidades de escolha são restringidas pela adversidade das coisas, pelo fato de que as situações são concretas e pela unilateralidade das outras liberdades. A ideologia da liberdade se transforma, assim, em uma emrpresa de liberação, no sentido da ampliação as possibilidades concretas de eleição. (Li Carrilo, 1968, p.13)

In: LI CARRILO,Victor. 1968 Estructuralismo y Antiburnamanismo. Caracas, Universidade Cetntral de Venezuela (Cuadernos del Instituto de Filología Andrés Bello).