Só por hoje - Doando


“Temos que dar livremente e com gratidão o que nos foi dado livremente e com gratidão.”

Texto Básico, p.53.

Em recuperação, recebemos muitas dádivas. Talvez uma das maiores dádivas seja o despertar espiritual que começa quando paramos de usar, intensificando-se a cada dia que aplicamos os passos em nossas vidas. A nova centelha de vida inferior é o resultado direto de nossa nova relação com um Poder Superior, uma relação começada e desenvolvida com a vivência dos Doze Passos. Lentamente, enquanto prosseguimos com nosso programa, a luz da recuperação dissipa a escuridão da nossa doença.
Um dos meios de expressar nossa gratidão pelas dádivas da recuperação é ajudar os outros a descobrirem o que nós achamos. Podemos fazer isso de inúmeras maneiras: partilhando nas reuniões, respondendo as chamadas para o Décimo - Segundo Passo, aceitando o compromisso de um apadrinhamento, ou sendo voluntário para H&I ou serviços telefônicos. A vida espiritual que nos é dada em recuperação requer expressão, porque “só doando podemos conservar o que temos.”
Só por hoje: A dádiva da recuperação cresce quando partilho. Eu procurarei alguém com quem partilhar.

Acreditar:

a.cre.di.tar (a1+crédito+ar2) vtd, vti e vint 1 Crer, dar crédito a, ter como verdadeiro. vtd e vpr 2 Abonar(-se), conferir reputação a, tornar(-se) digno de estima. vti 3 Ter confiança. vtd 4 Lançar a crédito, pôr na conta do haver. vtd 5 Dar poderes (a alguém), para representar a nação em país estrangeiro. Antôn: desacreditar, desabonar, descrer, depreciar, difamar.
Fonte: Michaelis , Moderno Dicionário da Língua Portuguesa - Editora Melhoramentos.

Botafogo 6 x Mesquita 2

O blogueiro na Sede de Remo do Botafogo - Lagoa Rodrigo de Freitas - RJ :)

O jogo:

Mais uma vez jogando em casa, o Botafogo entrou ligado na partida e se organizou para dar o primeiro bote. E ele aconteceu aos 16 minutos. Wellington Paulista recebeu cruzamento, cabeceou a bola no travessão, e ela voltou no rosto do goleiro Borges e entrou: 1 a 0.
Sem tempo para respirar, Jorge Henrique cruzou no ataque seguinte para Zé Carlos dar um peixinho e fazer o segundo aos 19 minutos. O mesmo Jorge Henrique sofreu pênalto aos 21. Lúcio Flávio ampliou.
Depois de três lances alucinantes o Botafogo parou por 15 minutos para fazer a digestão. Cadenciando mais o jogo, o quarto gol saiu em bola parada. Aos 35 minutos Zé Carlos cobrou falta perfeita no ângulo esquerdo e configurou a goleada.
No segundo tempo o ritmo do jogo não diminuiu. A partida estava tão fácil para o Botafogo que Leandro Neto acabou diminuindo para o Mesquita. Ele fez jogada individual, deixou dois para trás e chutou forte no canto direito de Castillo.
Mas a capacidade de defesa do time da Baixada era tão pequena que logo o Botafogo reestabeleceu a diferença. Aos 11 minutos Alessandro pegou sobra de cabeça e a bola foi entrando devagarinho no fundo da rede, com a zaga e goleiros adiantados e rendidos.
O jogo ficou aberto para os dois lados, e Edson aproveitou uma falha de Castillo para fazer mais um para o Mesquita. O goleiro escorou cruzamento errado e Édson pegou rebote e mandou no ângulo. 5 a 2.
Com o jogo liquidado, o Botafogo não atacou mais com tanta ferocidade, e o Mesquita se contentou em não levar mais gols. Mas ainda deu tempo de Abedi marcar o sexto aos 46 minutos e sacramentar a campanha 100% do Botafogo. 6 a 2.

Reflexão do dia, ou melhor do blog :)

"É muito melhor lançar-se à luta em busca do triunfo, mesmo expondo-se ao insucesso, do que formar fila com os pobres de espírito, que nem gozam muito, nem sofrem muito porque vivem nessa penumbra cinzenta que não conhecem vitória nem derrota."
Roosevelt
Foto:Um gambá na restinga de Iquipari - São João da Barra-RJ

Alguém tem que trabalhar nesta cidade! :)


Só por hoje - Confiança


“Só por hoje terei fé em alguém de NA, que acredita em mim e quer ajudar na minha recuperação”.

Texto básico, p. 101

Aprender a confiar é uma proposta arriscada. Nossa experiência no passado como adictos na ativa nos ensinou que nossas companhias não eram confiáveis. Acima de tudo não podíamos confiar em nós mesmos.
Agora que estamos em recuperação, a confiança é essencial.
Precisamos de algo a que nos apegar, em que acreditar e que nos dê esperança em nossa recuperação. Para alguns de nós a primeira coisa em que podemos confiar são as palavras de outros membros de partilhando nas reuniões; sentimos a verdade de suas palavras.
Quando encontramos alguém em quem podemos confiar, fica mais fácil pedir ajuda. Quando passamos a confiar em sua recuperação, aprendemos a confiar na nossa.

Só por hoje: Eu decidirei confiar em alguém. Agirei nesta confiança.

O Fórum Social Mundial na visão crítica de Vitor Hugo

Acreditando na democratização dos meios de comunicação e fazendo deste Blog, um lugar para debates, trocas de experiências, e fazendo valer o desafio de abordar narrativas diferentes, inteligentes, e comprometidas com a transformação social, apostando numa via que permita agregar e desenvolver as inúmeras potencialidades individuais e comunitárias, resultando no aparecimento de novos talentos, abrimos o espaço para o Vitor Hugo, fazer uma análise crítica sobre o Fórum Social Mundial, acontecido no dia 26/01/2008, no Aterro do Flamengo, na cidade do Rio de Janeiro, dentro das atividades do Dia Mundial da Mobilização e Ação Social.


Diversidades...


Muito se aprende ao conviver, mesmo que por um dia apenas, com outras culturas.
Às vezes, em nosso mundo pequeno e delimitado, não nos damos conta do quanto o mundo é diversificado.
No ultimo dia 26, tive a oportunidade de viver mais essa experiência, apesar de ter sido em um único dia.
Foi no Fórum Social Mundial que aconteceu no aterro do Flamengo. Lá podíamos ver índios, afro-descendentes, socialistas, ambientalistas, ongs de combate à pobreza, estudantes apresentando algum tipo de arte, rappers, enfim, Uma gama variável de culturas, de estrangeiros a moradores de rua, de sociólogos a hippies...
Enfim, sempre que se parava para conversar com alguém, aprendia-se alguma coisa. E o legal era que se falava a mesma língua. As idéias sempre estavam sintonizadas, como na conversa sobre o Hip Hop com um grupo artístico que mistura musica e poesia...Ou com o morador de rua que reclamava ao ler o folder do evento:
“- Aqui só tem alemão!”
Ele foi o mesmo que não quis dar entrevista ao companheiro Fabiano (Sepé). Mas tarde acho que eu pude entender a atitude daquele homem.

Um dia de euforia...

Analisando a atitude do morador de rua, que era de revolta em relação ao evento, tive algumas poucas conclusões. Ora, aquele não era o primeiro evento/ato que aquele homem assistia, certamente. Pois sempre se têm notícias, mesmo morando no interior do Estado, como eu, das manifestações por paz, por justiça essas coisas, que acontecem naquelas bandas. Pois bem.
Na hora é tudo muito belo, charmoso, nos sentimos enxertados nessa grande causa social. Mas quando chegamos em casa, aquela euforia, na maioria das vezes passa.
A verdade é que aquele homem se sentiu invadido em sua própria casa, pois ele mora no aterro ou nas proximidades, por pessoas que no outro dia irão voltar as suas atividades normais e vão passar por ele com o mesmo ar de indiferença do dia anterior ao evento, isso é fato, no dia seguinte todos ainda estarão envolvidos, na semana seguinte, muitos já estarão indiferentes outra vez...
Um leão por dia...
Penso naquele homem, que com certeza mata um leão por dia pra sobreviver. E muitas vezes esse leão, que também podemos chamar de fome, miséria, é quem o mata.
Sinto-me em seu lugar: "ninguém parece se importar com a gente, hoje estão aqui, para que suas consciências lhes digam que eles não são ruins e que se importam" acho que pensando assim ele disse que éramos todos "alemão".
É claro que não são todos disso podem ter certeza...

Algo a se pensar...

Qual o maior problema que hoje afeta essas pessoas, como por exemplo, esse morador de rua?
A fome e a miséria certamente, mas outros fatores nos matam por dentro, deixando os corpos como zumbis, sem rumos e sem perspectivas.
Mas certamente a falta de esperança...Pois ela mata a carne e a alma e nos leva a acreditar que nada somos, sem esperança, não temos como prosseguir é ela que nos diz que algo, por menor q possa ser é possível.
Pessoas como aquele homem, morrem todos os dias, pois a cada dia ele vê a esperança caindo cada vez mais num abismo. Se distanciando dele.
E o que nós podemos fazer?
E onde nós entramos nisso?
Essa questão é pessoal para cada um. O que nós temos feito para pessoas como ele?
Há uma musica que diz: "E o que nós podemos fazer? Cruzar os braços, não há de ser, ajudar o outro é ajudar a si. Mostrar o caminho a prosseguir. Sim, há tanto para fazer, cruzar os braços não há de ser”.

"Uma grande caminhada, começa com um simples passo”.
Provérbio chinês

Vitor Hugo
tertiodie@gmail.com

Só por hoje - O Primeiro Passo – um passo de ação.

“Compreendemos que não temos nenhum controle real sobre as drogas?”

Texto Básico, p.20

A princípio muitos de nós pensaram que o Primeiro Passo não requeria ação – bastava nos rendermos e ir para o Segundo Passo. Mas o Passo Um requer ação, sim!
A ação que tomamos no Primeiro Passo ficará evidente na maneira como vivemos, desde nosso primeiro dia limpo. Se acreditamos sinceramente que somos impotentes perante nossa adicção, não escolheremos ficar perto das drogas. Continuar a viver ou nos associarmos com adictos na ativa pode indicar uma restrição a nosso programa. Uma crença absoluta em que o Primeiro Passo diz respeito a nós irá assegurar que limpamos nossa casa de todas as drogas e objetos relacionados ao uso delas;
Com o passar do tempo, não somente continuaremos com as ações básicas, mas acrescentaremos novas ações a nosso repertório do Primeiro Passo. Aprenderemos a sentir nossos sentimentos em vez de tentar controlá-los. Deixaremos de tentar ser nossos próprios e únicos guias de nossa recuperação; o apadrinhamento de si mesmo cessará. Começamos a procurar mais e mais satisfação espiritual em um Poder maior do que nós em vez de tentar preencher aquele vazio com outra coisa qualquer.
Rendição é apenas o começo. Um vez rendidos, precisamos aprender a viver na paz que encontramos.

Só por hoje: Eu realizarei todas as ações necessárias à prática do Primeiro Passo. Acredito, sinceramente, que isso diz respeito a mim.

A energia sonora dos passáros em Barra do Furado!

Quem seria hoje o cidadão ou cidadã ideal para comandar a Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes-RJ?

Ajude a construir um trânsito mais humano! Não cometa esses erros:

O Código de Trânsito Brasileiro – CTB especifica a proibição de estacionar veículo próximo a esquinas “Art. 181. Estacionar o veículo: I – nas esquinas e a menos de cinco metros do bordo do alinhamento da via transversal. Infração: média; Penalidade: multa; Medida administrativa: remoção do veículo”. Para caracterizar esta infração se faz necessário que o condutor estacione o veículo nas esquinas, devendo ainda estar a menos de cinco metros do bordo do alinhamento da via transversal.

"A sinalização horizontal tem a finalidade de transmitir e orientar os usuários sobre as condições de utilização adequada da via, compreendendo as proibições, restrições e informações que lhes permitam adotar comportamento adequado, de forma a aumentar a segurança e ordenar os fluxos de tráfego". (Resolução nº 236/07 do Contran)
Estacionar o carro não é permitido, mas abandonar essa porcaria de reboque pode?
Avenida Alberto Torres em frente a Casa & Video a alguns passos da Câmara Municipal de Campos-RJ.

Reflexão após um dia trabalho exaustivo

Aprendendo a dar valor às pequenas atitudes do cotidiano você é capaz de perceber que não basta apenas ter um sonho, é necessário acordar e agir para fazer valer o que você tem como ideal de vida.
Muitos serão os obstáculos a frente, os inúmeros desafios a serem superados, muitos serão os inimigos e as adversidades a serem enfrentadas, mas a força de vontade, a mente aberta e a certeza de que você não está sozinho faz de um você um verdadeiro combatente.
Não se deixe levar pelo medo ou pelo cansaço.
O resultado final será satisfatório.
Seja perseverante!
Você não pode se apenas mais um em meio a esta multidão. Chega de ser explorado, massacrado, massa de manobra na mão dos canalhas.
Daqui a pouco eles vão aparecer, com aquele falso aperto de mão e 3 tapinhas nas costas!
Nas minhas não!
“Sai pra lá, acerta outro, vê se me erra!”
Força, fé e perseverança sempre foram ingredientes na receita de sucesso daqueles que foram vencedores, não derrotando um outro homem, mas vencendo a si próprio, tendo coragem de estar cara a cara com o homem do espelho e saber seus pontos fracos, seus medos, seus anseios e suas armas disponíveis.
Por acreditar é que ainda mantenho acesa a chama da esperança, como dizia O Rappa numa de suas músicas: “é pela paz que eu não posso seguir admitindo!”
Estamos ai, aguardando o pronunciamento!
A resposta virá em breve!

Só por hoje – Um Adicto todos os dias.

“Nunca poderemos nos recuperar completamente, não importa há quanto tempo estejamos limpos.”

Texto Básico, p. 91

A princípio muitos de nós pensaram que o Primeiro Passo não requeria ação – bastava nos rendermos e ir para o Segundo Passo. Mas o Passo Um requer ação, sim!
A ação que tomamos no Primeiro Passo ficará evidente na maneira como vivemos, desde nosso primeiro dia limpo. Se acreditamos sinceramente que somos impotentes perante nossa adicção, não escolheremos ficar perto das drogas. Continuar a viver ou nos associarmos com adictos na ativa pode indicar uma restrição a nosso programa. Uma crença absoluta em que o Primeiro Passo diz respeito a nós irá assegurar que limpamos nossa casa de todas as drogas e objetos relacionados ao uso delas;
Com o passar do tempo, não somente continuaremos com as ações básicas, mas acrescentaremos novas ações a nosso repertório do Primeiro Passo. Aprenderemos a sentir nossos sentimentos em vez de tentar controlá-los. Deixaremos de tentar ser nossos próprios e únicos guias de nossa recuperação; o apadrinhamento de si mesmo cessará. Começamos a procurar mais e mais satisfação espiritual em um Poder maior do que nós em vez de tentar preencher aquele vazio com outra coisa qualquer.
Rendição é apenas o começo. Um vez rendidos, precisamos aprender a viver na paz que encontramos.

Só por hoje: Eu realizarei todas as ações necessárias à prática do Primeiro Passo. Acredito, sinceramente, que isso diz respeito a mim.

O buraco do Dia do Abandono:

Este buraco já virou personagem do Blog, está sempre aparecendo, olha ele aí de novo.
Alguém sabe informar onde ele está localizado?

Como visto num pará-brisas de um carro:

Campos dos Goytacazes, a capital do Buraco!


Avenida 28 de Março em frente a PMCG.

Mazelas de Campos em dia chuvosos

Rua Governador Teotônio Ferreira de Araújo


Cruzamento das Ruas 21 de abril com Teotônio Ferreira de Araújo.

E o lixo no Centro de Campos?

Rua Vinte e um de abril - estacionamento do Ponto Frio.
Em frente ao Campos Shopping - Rua ao lado do Banco do Brasil

O ouro negro que brota desta terra não é só petróleo.


No porto de ônibus localizado na descida da Ponte Dona Rosinha, está brotando com intensidade um ouro negro, que para a tristeza de muitos, não é petróleo, pois é esgoto in natura, não gerando royalties (R$). Este esgoto que se mistura com as águas pluviais, possibilitando a contaminação das pessoas com doenças como: febre tifóide, cólera, desinteria, meningite e hepatites A e B. Vamos trabalhar gente!

E as calçadas destruídas?


Nas proximidades do Mercado Municipal de Campos, circulam diariamente milhares de pessoas, que correm risco de tropeçarem ou saírem feridas nas calçadas, que há muito tempo estão abandonadas e sem manutenção. Alguém poderia me informar se algum cadeirante conseguiria transitar tranquilamente pelas ruas de Campos dos Goytacazes?

E o lixo na Rua Dr. Siqueira?



Acredito que o IPTU do Parque Dom Bosco seja um dos mais altos da cidade, tendo em vista que este bairro é considerado de classe média, com residências de classe média alta, prédios luxuosos universidades, escolas particulares, clínicas médicas, dentre tantas outras coisas, tenha um morador que ocupa de forma irresponsável uma calçada com entulhos, lixos e um monte de porcarias, impedindo a passagem de pedestres. Estas porcarias estão aí a mais de 20(vinte) dias.

Campos e um dos seus carros-camelôs


Este carro-camelô fica a alguns metros da casa do Chefe do Executivo Municipal de Campos dos Goytacazes-RJ.
Repare bem nos adesivos colados no pára-brisas traseiro.

A falta de educação ambiental resulta em poluição!



Poluição da margem direita do Rio Paraíba do Sul
Terminal Rodoviário Urbano - Centro de Campos dos Goytacazes-RJ

E assim fica Campos dos Goytacazes em dias chuvosos!

O abandono da cidade de continua!

Avenida Pelinca - Em frente a Loja Leader:Centro - Avenida Alberto Torres - Ao Lado da Igreja Boa Morte
Centro - Avenida Alberto Torres - Ao da Pracinha do Canhão:

Uma Semana do Blog no Ar!

O poeta Graciliano Ramos dizia que: o povo não tem amigo; o melhor amigo do povo é o próprio povo organizado. Tomo posse dessas palavras para comemorar com aqueles que aqui chegaram a primeira semana do Blog no universo cibernético, um espaço democrático, anárquico que vai se consolidando como ferramenta para divulgação de idéias, projetos e ações afirmativas que acontecem em nosso cotidiano. Por não ser capacho de A ou B ou alguém que mama nas grandes tetas de alguma viúva, fico tranquilo com aquilo que aqui escrevo, estando aberto as críticas, sejam elas construtivas ou destrutivas, isso é o que me fortalece. O apoio e incentivo dos verdadeiros amigos são os combustíveis que movem meus ideais. Acredito na transformação social, que hoje também se dá atrávés da informação compartilhada, na divulgação dos anseios do povo esquecido, abandonado, reprimido, assassinado, humilhado a cada novo amanhecer.
Receber visitantes de inúmeros países como por exemplo: Alemanha, Brasil, Estados Unidos da América, Espanha, Finlândia, França, Inglaterra, Irlanda, Polônia, Portugal, Romênia, Suíça, Tailândia, Venezuela, dentre tantos outros, me deixou animando para continuar aqui postando, somando na rede, sendo útil de alguma forma. Vou me esforçar para não ser um usuário de combinações das teclas CTRL + A, CTRL + C, CTRL + V e outras e produzir conteúdo, não ser uma máquina de xérox, copiando tudo sem ler.
O presente maior, sem desmerecer aos outros visitantes, foi o acesso realizado por um visitante da Suíça, na data da realização do Fórum Econômico Mundial, na cidade de Davos e este blogueiro participava na cidade do Rio de Janeiro do Fórum Mundial Social. Ainda farei uma análise mais crítica deste acesso.
Acredito que estamos no caminho certo, os frutos já estão sendo colhidos.
Quem Acredita, Sempre Alcança!
Foto de Vitor Hugo - Macaé-RJ

Mais do Um Blog no Rio Com Vida! Fórum Social Mundial

O professor Roberto Moraes também esteve no Rio de Janeiro, participando e fazendo a cobertura do FSM, com textos, imagens e sua visão sensata e crítica, disponiliza em seu blog post interessantissímos!
Click aqui e fique por dentro! :) No bom sentido é claro! :D

Botafogo 3 x 0 Americano


O blogueiro em sua estada no Rio de Janeiro, teve o privilégio de conhecer o botafoguense Mil, que passeava numa bicicleta incrementada, com seus dois mascotes, os vira-latas Capitão Fura-Saco e o Latino Chuva-Fina. Uma conversa proveitosa, muitas histórias sobre O Botafogo e o RJ. De posse de um álbum onde haviam retratos d sua esposa, acompanhada com felinos, nomes em homenagens as princesas japonesas e chinesas, as gatas Lee Link, Sheila, Vitória e o gato Lúcio-Shogum, em homenagem a um general Japonês. Falou também do seu fascínio por pedalar pelas estradas da região sudeste, concluindo percursos até as cidade de Araruama-RJ e Juiz de Fora-MG. Deixou também uma grande mensagem para a juventude: “Pratique esporte! Seja lá qualquer for! O esporte tira os jovens das drogas, e faz bem para a saúde!”
O jogo

O time do Botafogo entrou tranqüilo e logo impôs seu ritmo de jogo. Aos 6 minutos, em triangulação pelo meio, Alessandro cruzou o campo, tocou para Wellington, que deixou Túlio na cara do gol. Foi só o volante escolher o canto para abrir o placar.
Aos 20, o zagueiro Ferrero enfiou bola em profundidade para Wellington Paulista, que mais uma vez avançou pela esquerda e encontrou Jorge Henrique livre, para empurrar para o fundo da rede e fazer mais, o terceiro no campeonato.
O Botafogo esteve organizado durante todo o primeiro tempo, e não deu chance de reação para o Americano, apesar de o time de Campos ter conseguido algumas boas jogadas, mas que pararam na defesa alvinegra.
Com o jogo praticamente liquidado na primeira etapa, o segundo tempo teve um clima de treinamento.
Mas logo aos 3 minutos uma linda jogada, ensaiada, levou os torcedores do Botafogo ao delírio. Lúcio Flávio bateu falta para o lado, Wellington Paulista recebeu, serviu Jorge Henrique dentro da área, e o ex-garçom pela direita relembrou os velhos tempos, colocando a bola na cabeça de Zé Carlos. Linda jogada, tudo de primeira. 3 a 0 Botafogo.
Aí foi só administrar. Depois dos 40 minutos a torcida cantava com direito a grito de "olé".

Só por hoje – Aprendendo a viver de novo.


"Aprendemos novas maneiras de viver. Não estamos mais limitado às nossas velhas idéias."

Texto básico, p. 61

Talvez tenham nos ensinado, quando éramos crianças, a diferenciar o certo do errado e outras coisas básicas da vida; talvez não. Não importa, quando entramos em recuperação, a maioria de nós tinha apenas uma vaga idéia de como viver. Nosso isolamento do resto da sociedade nos fez ignorar responsabilidades humanas básicas e desenvolver aptidões bizarras de sobrevivência para lidar com o mundo em que vivíamos.
Alguns de nós não sabíamos dizer a verdade; outros eram tão francos que feriam a todos com quem falavam. Alguns de nós não conseguíamos lidar com o mais simples dos problemas pessoais, enquanto outros tentavam resolver os problemas do mundo inteiro. Alguns de nós nunca ficávamos zangados, mesmo recebendo tratamento injusto; outros se dedicavam a elaborar reclamações contra tudo e contra todos.
Quaisquer que sejam nossos problemas, não importa quão graves, todos temos uma chance de aprender a viver de novo, em NA. Talvez precisemos aprender a ser gentis e atenciosos com os outros. Talvez precisemos aceitar as responsabilidades pessoais. Ou talvez precisemos superar o medo e nos arriscarmos. Podemos estar certo de uma coisa: a cada dia, pelo simples fato de viver a vida, aprendemos algo novo.

Só por hoje: Eu sei mais sobre como viver do que sabia ontem, mas não tanto quanto saberei amanhã. Hoje, aprenderei algo novo
.

Rio Com Vida - Fórum Social Mundial 2008 - XII

Canta, Canta, Minha Gente
Composição: Martinho da Vila

Canta, canta, minha gente
Deixa a tristeza pra lá
Canta forte, canta alto
Que a vida vai melhorar

Cantem o samba-de-roda
O samba-canção e o samba rasgado
Cantem o samba-de-breque
O samba moderno e o samba quadrado

Cantem ciranda, o frevo
O coco, maxime, baião e xaxado
Mas não cante essa moça bonita
Porque ela está com o marido do lado

Canta, canta, minha gente
Deixa a tristeza pra lá
Canta forte, canta alto
Que a vida vai melhorar

Quem canta seus males espanta
Lá em cima do morro ou sambando no asfalto
Eu canto o samba-enredo
Um sambinha lento e um partido-alto

Há muito tempo não ouço
O tal do samba sincopado
Só não dá pra cantar mesmo
É vendo o sol nascer quadrado

Rio Com Vida - Fórum Social Mundial 2008 - XI

Como a gente pode ser normal se o normal é tão estranho? É tão lógico é pra-tão-pouca-gente?
É tão lógico, é pra-pouco-gente... Não! Nós só podemos ficar com a anormalidade. Com a loucura dos sonhos. Com a embriaguez da esperança. Nós não vamos nos adaptar. Preferimos o lado dos excluídos, dos descamisados, das mulheres guerreiras, do povo trabalhador. Nós caminhamos com os movimentos sociais, somos contra a guerra e o capitalismo, não gostamos da Globo e muito menos do padrão de beleza e o comportamento que nos impõem. Nós gostamos mesmo é dos negros e dos brancos, dos gays e dos heteros, dos homens e das mulheres, dos poetas e dos gagos, da lucidez e da loucura. Nós gostamos do diferente, da riqueza do diferente, da contradição do diferente, dos questionamentos do diferente. Nós achamos que o mundo deve ser pra todo mundo. Que o mundo, deve ser para as pessoas. Que as pessoas são o mais importante!






Rio Com Vida - Fórum Social Mundial 2008 - X


Cinco Perguntas - Bate-papo muito rápido com a Priscila.


Blog: Quem é a Priscila?

Priscila: Sou eu! Uma jovem, hoje com 19 anos, que graças a Deus concluiu o ensino médio, sou carioca com muito orgulho, moradora do Morro do Adeus.
Blog: Qual o projeto que você hoje apresente no Rio Com Vida, dentro das atividades do Dia Mundial da Mobilização e Ação Global?
Priscila: Estou apresentando um projeto dentro da área de educação sexual, com a exposição de materiais educativos, composto de folders, revistas, jornais e a distribuição de preservativos masculinos e femininos.
Blog: Além do participar do FSM, onde você atua de forma direta?
Priscila: Como monitora Centro de Promoção da Saúde – CEPADS, organizo palestras, encontros, seminários em escolas, colégios e igrejas, objetivando a conscientização dos adolescentes e jovens da minha comunidade da necessidade do conhecimento das doenças sexualmente transmissíveis e como preveni-las.
Blog: Um sonho ainda não realizado?
Príscila: Minha aprovação no vestibular de psicologia!
Blog: Deixe uma mensagem para a juventude!
Priscila: Use Camisinha!

Rio Com Vida - Fórum Social Mundial 2008 - IX

"Estamos do lado da juventude. Porque sonhamos e podemos. Queremos trabalhar, estudar e nos divertir. Da nossa forma colorida e sem limites. Com guitarras e skates, livros e muitas canções. Queremos nossos direitos. Da nossa forma responsável e despojada. Somos uma nova geração de indignados e, assim, revolucionários cheios de sentimentos de amor. Nosso palco são as ruas. Nossas armas, as pessoas que lutam."