Botafogo 3 x 0 Americano


O blogueiro em sua estada no Rio de Janeiro, teve o privilégio de conhecer o botafoguense Mil, que passeava numa bicicleta incrementada, com seus dois mascotes, os vira-latas Capitão Fura-Saco e o Latino Chuva-Fina. Uma conversa proveitosa, muitas histórias sobre O Botafogo e o RJ. De posse de um álbum onde haviam retratos d sua esposa, acompanhada com felinos, nomes em homenagens as princesas japonesas e chinesas, as gatas Lee Link, Sheila, Vitória e o gato Lúcio-Shogum, em homenagem a um general Japonês. Falou também do seu fascínio por pedalar pelas estradas da região sudeste, concluindo percursos até as cidade de Araruama-RJ e Juiz de Fora-MG. Deixou também uma grande mensagem para a juventude: “Pratique esporte! Seja lá qualquer for! O esporte tira os jovens das drogas, e faz bem para a saúde!”
O jogo

O time do Botafogo entrou tranqüilo e logo impôs seu ritmo de jogo. Aos 6 minutos, em triangulação pelo meio, Alessandro cruzou o campo, tocou para Wellington, que deixou Túlio na cara do gol. Foi só o volante escolher o canto para abrir o placar.
Aos 20, o zagueiro Ferrero enfiou bola em profundidade para Wellington Paulista, que mais uma vez avançou pela esquerda e encontrou Jorge Henrique livre, para empurrar para o fundo da rede e fazer mais, o terceiro no campeonato.
O Botafogo esteve organizado durante todo o primeiro tempo, e não deu chance de reação para o Americano, apesar de o time de Campos ter conseguido algumas boas jogadas, mas que pararam na defesa alvinegra.
Com o jogo praticamente liquidado na primeira etapa, o segundo tempo teve um clima de treinamento.
Mas logo aos 3 minutos uma linda jogada, ensaiada, levou os torcedores do Botafogo ao delírio. Lúcio Flávio bateu falta para o lado, Wellington Paulista recebeu, serviu Jorge Henrique dentro da área, e o ex-garçom pela direita relembrou os velhos tempos, colocando a bola na cabeça de Zé Carlos. Linda jogada, tudo de primeira. 3 a 0 Botafogo.
Aí foi só administrar. Depois dos 40 minutos a torcida cantava com direito a grito de "olé".

Nenhum comentário: