Resistência! Oficina de Culinária A Cozinha dos Quilombos de Campos dos Goytacazes: Sabores, Territórios e Memórias.

Resistência!

Oficina de Culinária A Cozinha dos Quilombos de Campos dos Goytacazes: Sabores, Territórios e Memórias.

E nos porões sujos dos navios aqui chegamos, contra nossa vontade, chegamos aqui escravizados, como mercadorias, comercializados nos portos e nas praças, relegados a condições sub-humanas.. Em nossos países éramos livres... Reis, príncipes, princesas, homens e mulheres com diversas ocupações e profissões. Tínhamos nossa cultura, nossa religião, nossos costumes, nossa comida, nossas cores e nossos diferentes sabores, nossa arte, nossa musica, nosso dança... Chegamos a Terra do Pau Brasil e contribuímos para a construção deste país, demos nossos sangues e nossas vidas em troca de uma liberdade, e ainda temos muito que avançar para que alcancemos a libertação das novas(?) formas de escravidão. Por diversas vezes nos rebelamos e tivemos que lutar para a sobrevivência, nos agrupamos em lugares longínquos... Longe dos Senhor do Engenho e fugindo dos capitães do mato e dos capatazes... Tempos difíceis...

Na região de Campos dos Goytacazes, passamos a ocupar uma Parque do Parque Estadual do Desengano, área conhecida com Imbé, muita mata atlântica, cachoeiras, fauna e flora riquíssima! Ali nos reunimos nos primeiros quilombos que tem se tem noticia! Plantar e cultivar a própria terra, para dela extrair o alimento para a sobrevivência, para a troca e fixação do homem no seu território, que é marco de resistência!

Hoje damos um passo importante, ao realizar a Oficina de Culinária A Cozinha dos Quilombos de Campos dos Goytacazes: Sabores, Territórios e Memórias, que tem como Proposta: Conhecer aspectos históricos e culturais da alimentação no Brasil; reconhecer os hábitos alimentares como um fator importante da identidade cultural do nosso povo; conhecer alguns pratos, utensílios e modos de preparo da cozinha brasileira; reconhecer a herança dos negros e negras na cozinha brasileira de hoje, em especial as preparações da alimentação cotidiana dos remanescentes quilombolas de Campos dos Goytacazes.

São ações do Projeto Cores, Sabores e Valores que vão tomando forma e contribuindo para a preservação dos hábitos alimentares e culturais de um segmento tão importante da nossa população, os remanescentes de quilombolas oriundos da Região do Imbé, pois acredito que na comida está um dos mais significativos elos entre a pessoa, sua cultura, entre a pessoa e sua identidade. Os elementos da comida (cor, textura, odor, temperatura, objetos complementares), bem como quantidade e maneiras de ingerir, trazem e ativam conhecimento, reforçando memórias, pois o homem tem fome de símbolos, que se baseia numa interessante pesquisa que resultou no Livro A Cozinha dos Quilombos: Sabores, Territórios e Memórias, lançado recentemente pelo Instituto Dagaz, mapeando os hábitos alimentares dos quilombolas do Estado do Rio de Janeiro, dentre eles os quatro certificados pela Fundação Cultural Palmares.

Durante a oficina iremos fazer a preparação dos pratos clássicos da culinária quilombola de Campos dos Goytacazes: - Quilombo de Aleluia:Angu com baiano;  Quilombo de Batatal: Ensopado de carne de porco com inhame;  Quilombo de Cambucá: Canjiquinha com carne ralada; Quilombo de Conceição do Imbé: Cantão (carne seca com purê de banana nanica ou caturra verde),

Além do resgate da culinária quilombola, estaremos preparando um  prato típico da culinária de Campos dos Goytacazes: a galinhada com feijão guandu, que remete as preparações feitas por minha avó, Anilda, com este feijão que é um dos poucos que nasce num pequeno arbusto e hoje é comercializado nas feiras da roça da nossa cidade.

Nesta oficina, teremos a participação do Hélvio Gomes Cordeiro, Escritor, Historiador e Pesquisador de Cultura Afro Brasileira, que abordara o tema:  A formação dos Quilombos de Campos dos Goytacazes: Uma História de Resistência! e da Maria Teresa Monteiro Carneiro, Mestre em Ciências Políticas/UFF, que abordará A Alimentação e a Questão Social: A prática da agricultura familiar nas comunidades quilombolas.

A oficina é voltada para toda comunidade campista, em geral aos interessados nas questões ligadas a cultura Afro Brasileira, Indígena, Quilombola e Artes Culinárias em geral.

Cores, Sabores e Valores!

Nenhum comentário: