Os 102 anos do ensino técnico são comemorados no Senado

O Senado Federal realizou sessão especial nesta segunda-feira, 30, para marcar os 102 anos do ensino técnico no Brasil. A história da rede federal começou em 1909, quando o então presidente da República, Nilo Peçanha, criou as primeiras 19 escolas de aprendizes e artífices. Hoje são 402 escolas federais de educação profissional em funcionamento, campus dos institutos federais de educação, ciência e tecnologia.
Ao destacar a importância do ensino técnico, o senador Paulo Paim (PT-RS), proponente da sessão, recorreu a seu exemplo pessoal, que trabalhava como vendedor de frutas em feira livre e se tornou ferramenteiro em um curso do Senai. “O próprio ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que expandiu o ensino técnico profissionalizante, se tornou metalúrgico em um curso do Senai”, disse ele.
O secretário de educação profissional e tecnológica do Ministério da Educação, Eliezer Pacheco, lembrou que no último período essa modalidade de ensino entrou na pauta do país. “Só na rede federal já investimos mais de R$ 1 bilhão. Saímos de 140 escolas para mais de 400 e de 113 mil para 400 mil matrículas em cursos técnicos e superiores. Mas ainda há muito o que fazer”, observou Eliezer.
Ações – Além da expansão da rede federal, o MEC repassou R$ 1,5 bilhão a 23 estados pelo programa Brasil Profissionalizado. Os recursos estão sendo usados na construção de 176 escolas técnicas estaduais e na reforma ou ampliação de outras 543. Outra importante ação, em andamento, foi o acordo de gratuidade com as entidades que compõe o Sistema S – Senai, Senac, Sesi e Sesc. Pelo acordo, já foram geradas 351 mil matrículas gratuitas nas escolas do Senac e do Senai nos últimos dois anos.

Nenhum comentário: