"A Crise Econômica Mundial do Capitalismo e reflexos na educação". Entenda como a crise mundial pode te afetar.

Foi o tema da palestra promovida pelo Grêmio Estudantil Nilo Peçanha do IF-Fluminense, realizada ontem no auditório Miguel Ramalho, contando com a presença dos professores da área de ciências humanas, Guiomar Valdez e Celso Acácio, que durante 3 horas fizeram uma retrospectiva das crises econômicas sofridas pelo Capitalismo, que atravessaram o século XX e hoje no século XXI afetam inúmeros paises, tendo em vista a economia globalizada e a influência do mercado na formulação e desenvolvimento dos projetos educacionais como imposição do neoliberalismo, principalmente no governo do presidente FHC, que resultou em grande parte do sucateamento das escolas e na minimização dos movimentos sociais, sindicais e estudantis.


Cerca de 150 estudantes dos cursos de ensino médio, técnico e principalmente da licenciatura em geografia lotam o auditório, deixando os docentes pratas da casa bem a vontade para debater.

O professor Celso Acácio, desta que em sua fala que “A crise não pode ser vista como uma marolinha, mas como um fenômeno socioeconômico mundial que atinge homens e mulheres, tornando muitos destes desempregados funcionais”

Para Rafhael Victor, presidente do GENP, a palestra foi uma oportunidade para que alunos e professores do IF -Fluminense debatessem e discutissem um tema de grande relevância, que tem impacto direto nas ações governamentais ligadas a educação profissional e tecnológica, e os reflexos da crise já podem ser sentidos, como a redução do orçamento para a educação federal em 2009 e a não realização de novos concursos públicos para docentes, como foi veiculado recentemente pelo Ministério do Planejamento, como forma de contenção de despesas.

Uma das mais entusiasmada da noite, a professora Guiomar Valdez, marxista convicta, ressalta em suas palavras que “A geração que nasceu nas décadas de 80 e 90, podem ser conhecidas com as gerações das crises, pois nestas décadas, o sistema capitalista foi tão cruel, que milhares de trabalhadores foram postos para fora dos seus postos de trabalho e quanto a educação foi avassalador, pois esta passou a atender os anseios do Fundo Monetário Internacional, com a formulação de políticas educacionais profissionalizantes, com a fragmentação dos cursos técnicos, uma prática da cartilha dos neoliberais que corroboraram para o sucateamento da educação pública. E o mais cruel disso tudo foi o enfraquecimentos dos movimentos sindicais, a cooptação de suas lideranças, que se torna um fenômeno para estudos e análises mais aprofundadas, assim também como o aprofundamento das questões relacionadas aos egressos das escolas profissionalizantes, para onde foram os formados, estão atuando na área de formação ou buscaram outros caminhos”




2 comentários:

Anônimo disse...

Essa palestra foi d+++

Anônimo disse...

Sim realmente reafirmo o quanto sou fãzona da guimar e do Celsinho.