O CAMINHO DA VIOLÊNCIA OU DA MANSIDÃO


Na manutenção da relação é importante avaliar de onde está surgindo o foco de turbulência. Afinal dizer que o outro cria problema é fácil, mas enfrentar os desgastes da relação é o grande DESAFIO.

Os grupos decidem estar junto. Homem – mulher decidem formar um casal, depois uma família. Contudo, muitos já entram na relação com a seguinte certeza: “Se der muito problema. Tô saindo.”

Viver a dois é a busca de muitos, para alguns até uma obsessão. Antigamente, para se constituir um casal e uma família se levava tempo, agora se faz e infelizmente se desfaz com mais facilidade.

A luta é grande, em nome deste propósito temos ouvido loucuras, jornal e TV são a prova disso.O que eu gostaria de mobilizar uma reflexão neste momento é sobre a qualidade e quantidade.

Quando o foco na relação é a quantidade: de amor, de reconhecimento, de afeto de elogios, de vezes que o outro diz EU TE AMO enfim, quanto.... quanto... quanto... E por fim essa quantidade não é percebida, há então, uma manifestação do atributo da violência e essa manifestação não precisa só ser um ato físico ou material.

A violência primitiva usa da força, mas a violência depois que conhece a via intelectual pode se expressar apenas e tão somente no silencio constante, na falta de carinho, nas conversas debochadas, nas indiretas ou falta de apoio dentro da relação. Assim quem vence é a QUANTIDADE e por fim a VIOLÊNCIA.

Precisamos estimular as pessoas e as relações para que o foco seja a qualidade. As relações pautadas na qualidade primam pela presença, a habilidade do falar, o apoio nas pequenas ações e o diálogo como instrumento principal de troca. A certeza é algo forte que está acontecendo e que o outro está na busca de crescimento e complementariedade.

Aaaaaaahh, ouvi você pensando... Isso é quase impossível.

Quando alguém entra em um relacionamento a sua faceta de príncipe e princesa é o mais importante, palavras doces, olhar suave, sorrisos, elogio, tolerância interminável, manifestação de surpresa e encantamento sucessivas vezes, mas depois que se tem certeza que a “presa” está no “papo” iiiiiiii ferrou. Acabou o sorrisinho, gastou toda tolerância... criatividade zero.. aí é outra faceta.

Mas se houver o firme propósito de ambos, o príncipe ou princesa encantada, pode ser feito a manutenção da magia. Afinal dentro de cada um de nós mora as duas forças, o que fará com que a expressão dela se faça é a rotina alimentar de cada uma. A Qualidade dos pensamentos, palavras e atos. Só queria lembrar uma questão: isso dá trabalho.

Podemos descobrir o caminho da violência ou da mansidão, basta estar atento para isso e verdadeiramente decidido a escolher a que lado servir.

Nenhum comentário: