Eleições Diretas, sempre!

Símbolo da campanha pelas eleições diretas para a Prefeitura de Campos. E já!, com arte adaptada por Aloisio Di Donato.


"A liberdade não tem qualquer valor se não inclui a liberdade de errar."(Mahatma Gandhi)




Vivemos muitos anos numa das ditaduras mais sangrentas da América Latina, muitos foram os jovens idealistas que deram suas vidas para que pudéssemos viver numa Democracia, onde nossos governantes fossem escolhidos através do voto direto, pela vontade popular.



Este direito ainda nos custa muito caro, pois nem sempre os eleitos nos representam de verdade, com ética, coerência e respeito aqueles que confiaram nos projetos, nas palavras empenhadas, nos projetos apresentados.



As escolhas que nós campistas fizemos, podem não ter sido as melhores, as mais sensatas, mas tivemos a oportunidade de fazê-la através do voto, através da participação em eleições, com calendários totalmente diferentes das demais cidades brasileiras.




Campos nos últimos dias tem figurado na grande mídia apenas em cenários ruins, entra e sai de prefeito, instabilidade política e social, as ações governamentais sempre vinculadas aos grupos dominantes, principalmente aqueles financiadores das campanhas políticas, que fazem dos escritórios das construtoras, empresas, ONGs, suas salas de negociações e partilhas de recursos, direcionamento nas licitações, enfim.



Estava pensando um dia desses, falam tanto nas câmeras de segurança na cidade, que irão instalar inúmeras em vários pontos, e veio à pergunta, eles teriam coragem de instalar estas câmeras nas salas de licitações, em seus gabinetes e nos bares e restaurantes onde se encontram para negociar o percentual de participação dos royalties do petróleo que lhes é oferecido como moeda de troca?




Minha participação democrática não permite ver de bons olhos, ter acesso a um DAS da PMCG e não poder ser contra ações erradas de um grupo político que busca o continuísmo, que faz pouco pela educação, faz muito pouco pelos jovens, que estão morrendo no mundo do crime, no tráfico de drogas, na prostituição, na ausência de políticas públicas sérias de resgate da cidadania, da emancipação do ser humano, no acesso aos direitos sociais.



Nossa cidade pode muito mais!



Pode ser uma referência de boa gestão, onde as instituições e as pessoas de bem são ouvidas, onde o orçamento é participativo, onde o Plano Diretor é utilizado como ferramenta de transformação da cidade, e não uma peça decorativa sobre a mesa do Chefe do Executivo. A LOA não pode ser uma peça figurativa, votada apenas para inglês ver e depois ser alterada através de inúmeras suplementações.



Nossa cidade pode ter um trânsito não caótico, mas com aplicação de engenharias, de adequação as normas técnicas elaboradas por pesquisadores.



O que não dá para aceitar é deixar na mão de poucos, pouco mais de uma dúzia e meia de pessoas decidirem o que é de direito e conquista de mais de 300 mil eleitores, pois estes que ocupam as cadeiras da Câmara estão mais interessados nos seus interesses pessoais, salvo algumas exceções, talvez uma minoria que ainda faz política pelo ideal de transformação da sociedade!



Não podemos aceitar uma eleição indireta!



Queremos votar para prefeito!



Temos nomes de homens e mulheres, cidadãos íntegros, que aqui criam seus filhos, que desta terra tiram o sustento dos seus lares, que aqui pagam seus impostos e querem cobrar daqueles que são pagos para servir ao povo e fazer a aplicação correta dos recursos, as ações transformadoras de vidas, que possibilitem o nosso povo ser um pouco mais feliz.



Diretas Já!



Diretas Sempre!

Um comentário:

Pedro (D)KabraL disse...

Excelente texto.
Parabens.