OSX E LLX ANUNCIAM DATAS DAS AUDIÊNCIAS PÚBLICAS PARA IMPLANTAÇÃO DO ESTALEIRO NO AÇU

A OSX e a LLX, empresas de equipamentos e serviços para a indústria offshore de petróleo e gás natural e de logística do Grupo EBX, informam que foram convocadas para os dias 11 e 12 de janeiro de 2011 as audiências públicas referentes ao processo de licenciamento ambiental da Unidade de Construção Naval do Açu (UCN Açu), que será implantada no Superporto do Açu, no município de São João da Barra (RJ).

A convocação das audiências, que ocorrerão, respectivamente, nos municípios de São João da Barra e Campos dos Goytacazes, foi publicada nesta sexta-feira (10) no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro, e autorizada pela Comissão Estadual de Controle Ambiental (CECA), da Secretaria de Estado do Ambiente do Rio de Janeiro (SEA/RJ).

"Esse foi um passo muito importante para que possamos iniciar as obras dentro do cronograma do nosso plano de negócios", afirmou o diretor financeiro e de Relações com Investidores da OSX, Roberto Monteiro.

Para Otávio Lazcano, diretor presidente e de Relações com Investidores da LLX, esse evento representa um “marco definitivo para o crescimento do Complexo Industrial do Superporto do Açu”.

A OSX segue trabalhando para atender à demanda nacional por equipamentos navais para a indústria brasileira de petróleo e gás, sempre de acordo com os mais altos padrões de tecnologia e de sustentabilidade que norteiam a atuação empresarial do Grupo EBX.

Sobre a OSX

A OSX é uma companhia do setor de equipamentos e serviços para a indústria offshore de petróleo e gás natural, com atuação em construção naval, afretamento de Unidades de Exploração & Produção e serviços de Operação & Manutenção.

A empresa adquiriu ao final de 2009 sua primeira unidade flutuante de produção, armazenamento e descarga de óleo e gás (FPSO). O FPSO OSX-1, que é o primeiro ativo de produção da companhia, está em fase final de customização em Cingapura, e será arrendado à OGX, em linha com o Acordo de Cooperação Estratégica assinado pelas duas companhias.

Recentemente, a companhia divulgou a decisão de instalar a sua Unidade de Construção Naval (UCN) no município de São João da Barra, na região do Complexo Industrial do Porto do Açu, no estado do Rio de Janeiro. A decisão levou em conta as vantagens competitivas do local e seguem os interesses da Companhia, de seus acionistas, de seus clientes e das demais partes interessadas envolvidas. O projeto representa um investimento de US$1,7 bilhão (cerca de R$ 3 bilhões) e vai gerar 3.500 empregos diretos na construção e 10 mil diretos na operação.

A OSX Construção Naval tem como sócia (10% de participação) a sul-coreana Hyundai Heavy Industries (HHI), líder mundial em construção naval. Pelo acordo estratégico firmado entre as partes a HHI irá transferir tecnologia estado da arte e knowhow que permitirão a OSX atingir níveis de produtividade asiática em apenas dois anos de operação.

Sobre a LLX

A LLX foi criada em março de 2007 com o propósito de prover o país com infraestrutura e competências logísticas, principalmente no setor portuário. Seus empreendimentos possuem localização estratégica e profundidade adequada aos maiores navios, utilizando moderna tecnologia portuária. Isso resulta em operações eficientes e de baixo custo.

Atualmente a empresa desenvolve dois empreendimentos: o Superporto do Açu, em São João da Barra, e o Superporto Sudeste, em Itaguaí – ambos em construção no estado do Rio de Janeiro.

O Superporto do Açu é um Terminal Portuário Privativo de Uso Misto, com área de 9 mil hectares, profundidade de 21 metros (com expansão para 26 metros) e estrutura offshore com até 30 berços para movimentação de produtos siderúrgicos, petróleo, carvão, granito, minério de ferro, granéis líquidos e carga geral. O porto também terá uma ponte de acesso aos píeres com 3 quilômetros de extensão, que já está concluída.

No total serão investidos R$ 4,3 bilhões no Terminal Portuário Privativo de Uso Misto do Açu, sendo R$ 1,9 bilhão pela LLX Minas-Rio (responsável pela implantação do terminal portuário dedicado ao minério de ferro) e R$ 2,4 bilhões pela LLX Açu (responsável pela operação das demais cargas como produtos siderúrgicos, carvão, granéis líquidos e granito).

A LLX já possui cerca de 60 memorandos de entendimento (MOUs) em negociação com empresas que querem se instalar ou movimentar cargas no Superporto do Açu. Em construção desde outubro de 2007, a previsão é que a operação do Superporto do Açu seja iniciada em 2012.

O outro empreendimento é o Superporto Sudeste, um Terminal Portuário Privativo de Uso Misto, dedicado a movimentação de minério de ferro, em fase de instalação em Itaguaí (RJ). Estrategicamente localizado, o Superporto Sudeste representa a menor distância entre os produtores de Minas Gerais e o oceano. A construção do empreendimento foi iniciada em julho deste ano e a operação está prevista para 2012.

O empreendimento terá profundidade de 21 metros e estrutura offshore com dois berços para atracação de navios. O investimento previsto é de R$ 1,8 bilhão para movimentação de 50 milhões de toneladas por ano, com possível expansão para 100 milhões de toneladas de minério de ferro por ano.

Fonte: Portal EBX

Nenhum comentário: