Salvador Dali

[Angustia - Salvador Dali]

Salvador Dali (1904 a 1989) foi um importante pintor espanhol do século 20, principal representante do surrealismo. Tinha um traçado de grande talento, retratando objetos e pessoas com uma realidade próxima a da fotografia, mesclando porém elementos imaginários às imagens, conforme o movimento surrealista. Dedicou-se a explorar o inconsciente, os sonhos e a religião.

3 comentários:

Anônimo disse...

como que vc diz ser exemplo de superação de vida pra outros ex drogados se tem como si´patizante na política o defensor das drogas Gabeira ?

Fabiano Seixas disse...

"Porque eu sou do tamanho daquilo que sinto, que vejo, e que faço, não do tamanho que os outros me enxergam...” Airton Senna

Prezado(a) Anônimo(a),

A boa educação nos mostra que não vale muito a pena debater com anônimos, mas vamos lá, o tema me interessa, pois droga e políticas as são a mesma droga! Veneno e remédio são muito próximos, depende apenas da dosagem.
As vezes sinto vontade de cheirar 50gramas de cocaína, fumar 350 gramas de maconha, beber um litro de cachaça, dropar duas balas e meio LSD, mas isso não me é importante hoje, não irão preencher o vazio que as vezes existe. Só Por Hoje eu decidi não usar!
Não me recordo em momento algum de ter escrito algo falando qeu eu seria o exemplo de superação ao não consumir mais drogas, isso foi uma escolha pessoal que fiz e que busco sustentar até onde eu encontrar forças e me sentir bem.
Quando ao termo ex-drogado, este já se encontra em desuso a muito tempo, os especialistas em adicção (uso de drogas ou substâncias psicoativas que alteram o estado de espirito e humor), utilizam o termo adicto ou drogadicto, já que se trata de uma doença, com CDI classificado pela Organização Mundial de Saúde(OMS).
Usar drogas ou não é uma escolha que cada um faz, independente de fatores como sexo, religião, classe social, bandeira política, dentre outros.
Não me recordo que o Gabeira seja um defensor ferrenho da legalização das drogas, o que vejo no seu discurso é o avanço num grande debate sobre a legalização ou não, onde a política de redução de danos seja uma ação do Estado, proporcionado mecanismos para arrecadação e tributação destas, assim como é feito com o cigarro e álcool, drogas aceitas pela sociedade e que talves façam parte do seu cotidiano.
Tenho simpatia pelo Ernesto Che,que dá nome ao meu primeiro filho.
O Che foi assassinou inúmeras pessoas em combates para tornar real a Revolução e nem por isso vou deixar de admirá-lo e devender as mesmas bandeiras que ele.
Ainda não decidi meu voto para governador do Estado, pois os nomes hoje polarizados pela grande mídia vão do ruim ao péssimo.
Tenho certeza que o Partido Verde poderá se apresentar com boas propostas para a governabilidade do Estado, onde as ações de desenvolvimento sejam implementadas com respeito ao meio ambiente e sustentabilidade.
Defeitos, ele deve ter muitos, mas os ideiais que ele defendeu para que pudessemos ter uma abertura política é um legado que não se pode negar, e ficar nesse blá blá blá de só associá-lo as drogas é o discurso do careta.
Dá uma olhada no blog dele, procure ver seus projetos apresentados enquando deputado federal.
Enfim, só posso lhe dizer uma coisa:
O Programa de Narcóticos Anônimos funciona!
Muitas vidas estão sendo salvas no mundo todo!
Continue voltando, posso não ter respondido ao que você gostaria de ler, mas me fez um bem escrever sobre esses temas.
Um abraço.

Fabiano Seixas disse...

PS! Vários erros de português e ortografia no texto! Em outro momento eu corrijo! Tempo curto, falta de habilidade com a escrita espontânea.