Escola pública terá móveis ergonômicos

Até o final de março, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) realizará pregão eletrônico de registro de preços para a aquisição de móveis escolares para a rede pública de educação básica. Inicialmente, será comprado um milhão de conjuntos para o aluno – formados por uma carteira e uma cadeira. Os conjuntos serão distribuídos para as escolas públicas dos municípios prioritários definidos no Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE).
As especificações do mobiliário decorrem de acordo de cooperação técnica entre o FNDE e a Fundação de Desenvolvimento da Educação (FDE), que cedeu ao Fundo projeto de móveis escolares totalmente baseados nas determinações da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). O projeto é composto pelo
conjunto do aluno (carteira e cadeira), conjunto do professor (mesa e cadeira) e por mesa acessível para estudantes com deficiência. A carteira e a cadeira do aluno têm três tamanhos, conforme o nível de ensino, cobrindo toda a educação básica.
Durante dois anos, a equipe técnica da FDE participou da revisão das normas técnicas da ABNT e trabalhou nas especificações desse mobiliário. Os móveis foram planejados seguindo as regras da ergonomia e com o objetivo de ter mais durabilidade que o mobiliário escolar comum.
“Este é o grande diferencial desse mobiliário: a adaptação ergonômica aos estudantes de acordo com a idade e a série, e ao uso pelos alunos com necessidades educacionais especiais”, diz Daniel Balaban, presidente do FNDE. Segundo ele, os novos móveis devem servir como padrão até para as escolas particulares, porque foram projetados com todos os itens necessários ao conforto e à segurança dos estudantes.
Assessoria de Comunicação Social do FNDE

Nenhum comentário: