Ciro Gomes admite sair candidato em 2010 e diz ter aprendido com erros de 2002

O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) disse nesta terça-feira, durante a sabatina da Folha, que poderá concorrer à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2010. Segundo o deputado, ainda é cedo para discutir o assunto pois o presidente Lula "mal interou um ano e três meses do seu mandato". Porém, admitiu que será uma honra "servir ao pais".
"Serei candidato se entender que é uma candidatura que servirá ao país. [....] Se for o meu destino, será uma honra", disse
Durante a sabatina, o parlamentar adotou um tom ameno e descontraído ao responder às perguntas. Ele agradeceu o fato de não ter sido eleito em 2002 e disse que aprendeu com seus erros. Porém, ressaltou que não mudou o comportamento para "paz e amor", pois quer continuar sendo uma pessoa capaz de se indignar.
"Eu não mudei de comportamento. Eu falei à vontade, falei o que penso. O que eu sou é a mesma pessoa com 50 anos e menos cabelo. Se você fica mais velho, comete erros e aprende com eles. Apenas nenhum deles foi de má-fé. Eu não quero jamais ser uma pessoa que não tenha a capacidade de se indignar. Às vezes eu exagerei, mas nunca foi de má fé."
Ciro disse que deveria ter evitado a discussão que teve em fevereiro com a atriz Leticia Sabatella no plenário do Senado sobre a manutenção das obras de transposição do rio São Francisco. Na ocasião, Ciro disse à atriz: "Eu, ao meu jeito, escolhi a opção de meter a mão na massa, às vezes suja de cocô, às vezes. Mas minha cabeça, não, meu compromisso, não".
Veja os principais trechos da sabatina:
Ética

"Sem ética não há vida democrática. Qual a vantagem de um homem público ser decente. Todos têm de ser decentes. Isso não é vantagem nenhuma", afirmou o parlamentar, ao ressaltar que não usou o cartão corporativo do governo federal quando estava no comando do Ministério da Integração Nacional.
Taxa de juros
"A taxa de juros [de 11,75% ao ano] é ruim. O [Henrique] Meirelles [presidente do Banco Central] sabe disso. A despeito do juro alta, é o menor juro real dos últimos 30 anos".
Golpe contra Lula
"A eleição do Severino [Cavalcanti para a presidência da Câmara] foi tentativa de golpe. Era para ele receber o pedido do impeachment [de Lula]. O Aécio Neves [governador de Minas Gerais] foi um dos que ajudou a impedir o Golpe. Mas, antes disso, Severino aderiu ao Lula".
Derrota em 2002
"Agradeço a Deus não ter sido eleito naquela época. Não estava maduro. Imagina ser eleito e ter como oposição PT e PSDB".
José Serra
"Ele era o deputado de maior valor da bancada do PSDB e a bancada inteira não votava nele para líder. Aí ele me liga. Saio ligando deputado pra deputado, que me dizem: ele é sem escrúpulo, passa por cima da mãe, é arrogante. Os deputados que diziam, não eu. Fizemos ele líder da bancada pelo valor."
Cid Gomes
"Acho francamente que governador do Estado do Ceará deve se explicar. Deve chamar imprensa e se explicar. Ele deve uma explicação [sobre a carona que o irmão deu para a sogra num jatinho que foi para a Europa em viagem oficial]."
Farcs
"Eu abomino a violência. Para mim, as Farc perderam a noção há muito tempo. "Não há pretexto ideológico que justifique seqüestrar uma mulher e deixá-la confinada por anos", disse, em referência à franco-colombiana Ingrid Betancourt, refém da guerrilha.
Terceiro mandato
"Esse pseudo fato [terceiro mandato] prejudica o país. O Lula já disse que não quer e no Senado [o governo] não tem nem maioria simples [para aprovar a proposta]. Não quero nem comentar uma coisa que não faz bem para o país", afirmou.

Nenhum comentário: