Do Blog Urgente: Novas orientações para o Chega de Palhaçada


1 – Em primeiro lugar, a manifestação não foi convocada para provocar ninguém. Trata-se do direito de defender algo novo para o município. Desde o início foi deixado bem claro que são bem-vindos os que avaliam que este novo significa, também, suceder o ciclo iniciado por Garotinho em 1988, daí o mote “Fora Mocaiber / Fora Garotinho / Fora Arnaldo / Quero um outro caminho”. Estes personagens representam atualmente as três maiores forças eleitorais do município e, por isso, personificam este legado que precisa ser superado.


Quem não concorda com essa premissa, não tem motivo para comparecer ao “Chega de Palhaçada”.


2 – O “Chega de Palhaçada” está marcado e sendo divulgado desde o sábado, dia 19, quando não havia nenhum outro ato público programado na cidade. Mas a volta de Mocaiber acirrou os ânimos e há evidente tentativa de setores ligados a Garotinho em tentar “pegar carona” no ato convocado pelos blogs. Por isso, as rádios Diário FM e Difusora fizeram hoje uma espécie de guerrilha de informações sobre locais e horários de uma certa manifestação “Voz de Campos contra a corrupção”, ora dizendo que era na Praça São Salvador, às 11h; ora dizendo que era no Largo da Imprensa, às 9h, numa clara intenção de se misturar à nossa manifestação e fazer parecer que apoiamos a causa deles.


3 – Há preocupação ainda em relação a militantes pró-Mocaiber, que, de acordo com alguns comentários nos blogs, poderiam se infiltrar no “Chega de Palhaçada” para provocar confusão. A orientação geral é a de que nenhum dos manifestantes do “Chega de Palhaçada” deve responder a eventuais provocações. Não estamos na rua para brigar. Não somos pit boys ou baderneiros. Vamos apenas fazer uma caminhada em paz, com apitaço, bom humor, faixas e protestos. Isso é um direito nosso, mas não é o caso de defendê-lo à custa de agressões verbais ou físicas. Se, por um motivo muito extremo, a nossa manifestação pacífica se tornar inviável em razão de alguma “invasão” de grupos políticos, simplesmente nos retiraremos. Poderemos nos reunir em outro local ou até mesmo cancelar o ato.


4 – Mas de modo geral os comentários e posts apontam no sentido de que será boa a experiência da manifestação — a primeira convocada por blogs em Campos. Possivelmente teremos uma oportunidade de medir a disposição de muitos em “colocar a cara na reta”, como se diz, e defender o que pensa não apenas nos ambientes virtuais. Será também um teste para saber o potencial da comunicação pela Internet no município e provocar pauta na mídia tradicional. Se, depois do ato público, tivermos conseguido dar maior visibilidade à idéia de que as perspectivas políticas de Campos não precisam estar confinadas às alternativas atuais, teremos dado um grande passo.


Vamo que vamo! Até lá!


Nenhum comentário: