Petrobras comprova descoberta de petróleo no Pré-Sal da Bacia de Santos


A Petrobras comunica que o consórcio formado pela Companhia (operadora com 65%), BG Group (25%) e Galp Energia (10%), para exploração do bloco BM-S-11, em águas ultra profundas da Bacia de Santos, concluiu a perfuração do poço 1-BRSA­618-RJS (1-RJS-656) e comprovou relevante descoberta de óleo leve nos reservatórios do pré-sal. A estimativa de volume recuperável é de 3 a 4 bilhões de barris de petróleo leve e gás natural, dentro da área.
Quando do anúncio da descoberta de óleo leve em 7 de agosto de 2008 em Iara, o poço ainda encontrava-se em perfuração na busca de objetivos mais profundos. Estes objetivos foram alcançados e a qualidade e a espessura porosa dos reservatórios portadores de óleo revelaram-se melhores que as expectativas iniciais. A nova descoberta, comunicada hoje à ANP, foi confirmada por teste a cabo e revelou a existência de petróleo leve, com densidade entre 26° e 30°API, numa área de cerca de 300 km2, bem definida sismicamente. O conjunto de dados coletados, associados ao conhecimento já adquirido no pré-sal permitiu estimar o volume supracitado.
O bloco BM-S-11 é composto por duas áreas exploratórias. Numa delas foi perfurado o primeiro poço 1-BRSA-369A-RJS (1-RJS-628A), conhecido como Tupi, que resultou na descoberta anunciada em 11 de julho de 2006, com estimativa de volume recuperável entre 5 e 8 bilhões de barris de petróleo leve e gás natural, cujo Plano de Avaliação aprovado pela ANP encontra-se em execução (cor cinza no mapa).
O poço descobridor, denominado 1-BRSA-618-RJS (1-RJS-656), conhecido como lara, localiza-se na área ao norte de Tupi (cor verde no mapa), a cerca de 230 km do litoral da cidade do Rio de Janeiro, em lâmina d'água de 2.230 metros.
A profundidade final atingida foi de 6.080 metros.
O consórcio dará continuidade às atividades exploratórias e investimentos nesta área através de um Plano de Avaliação de Descoberta a ser encaminhado à ANP, conforme previsto no Contrato de Concessão, a fim de melhor caracterizar a jazida

Nenhum comentário: