Um clássico para espantar as nuvens negras


Duas derrotas consecutivas tiraram o Botafogo do G-4 no Brasileiro, uma outra dificultou a classificação para as quartas-de-final da Copa Sul-Americana e, para completar, o aproveitamento ofensivo do time despencou nas últimas apresentações. Ambiente propício para estourar uma crise a qualquer momento, daí o clássico de amanhã ser o fiel desse equilíbrio. Se vencer, o Alvinegro retoma o caminho da tranqüilidade. Caso contrário, as nuvens negras se instalarão de vez.
O apoiador Carlos Alberto, um dos únicos a se salvar na má atuação na Colômbia, sabe que a receita para a confiança dos jogadores e da torcida ser restaurada é simples. “Nossa alternativa é voltar a vencer. Não adianta ficar arrumando outras explicações. Vencendo, tudo se resolve”, salientou.
Para o volante Túlio, o Botafogo já ultrapassou o momento de instabilidade que atinge todas as equipes durante o Brasileiro. “Já tivemos o momento de oscilação e espero que voltemos a vencer. Acho um pouco de exagero falar em crise. Se há cobrança é porque o time tem condição de dar mais. É bem possível que a gente brigue ainda pelo título. Não tem nada perdido. Nem no Brasileiro nem na Copa Sul-Americana”, afirmou.
Nos últimos cinco jogos, o Botafogo marcou apenas quatro gols. Coincidentemente, vem caindo na tabela de classificação. O baixo aproveitamento ofensivo do time preocupa Ney Franco: “É a hora de dar uma sentada e corrigir, principalmente na parte ofensiva”.
Ney será obrigado a mexer no ataque, já que Jorge Henrique está suspenso, assim como Triguinho e Diguinho. Seja quem for o substituto que jogará ao seu lado, Wellington Paulista está confiante em poder voltar a subir na tabela. “Só a vitória nos interessa. Nosso pensamento agora é somar pontos e voltar a ficar entre os primeiros, até porque jogamos na nossa casa”, afirmou.

Um comentário:

malvadeza disse...

Essa vitoria e nossa rsrsrs..........