Justiça proíbe Marcha da Maconha no Rio

Tribunal de Justiça do Rio determinou neste sábado a proibição da Marcha da Maconha, evento marcado para as 14h deste domingo (4), em Ipanema. O plantão do Tribunal de Justiça do Rio atendeu a um pedido do Ministério Público Estadual.

O deputado federal Marcelo Itagiba (PMDB) entrou com uma representação junto ao procurador-geral de Justiça, Marfan VieiAra. O procurador acolheu e deu entrada no pedido. Na avaliação do deputado, não se trata de impedir o direito de discutir a legalização da maconha, mas de fazer com que o debate tenha lugar no local adequado. Já o Ministério Público argumentou que o evento poderia camuflar uma ação para difusão do consumo de drogas.

O sociólogo Renato Cinco, um dos organizadores do evento, afirma achar pouco provável que a decisão seja revertida a tempo. "Estamos avaliando as possibilidades. Nossa orientação é para que as pessoas obedeçam a orientação da Justiça e não compareçam. Nós nos consideramos vitoriosos porque conseguimos estabelecer o debate", disse.

Hoje, o TJ de São Paulo proibiu a realização da Marcha da Maconha na cidade. O evento estava marcado para amanhã em dez capitais brasileiras e mais 200 cidades pelo mundo. A decisão é do desembargador Ricardo Cardozo Tucunduva, que acatou recurso do Ministério Público do Estado, que acredita que a marcha pode incitar o uso da droga.

O ato iria ocorrer no parque Ibirapuera (zona sul de São Paulo), às 14h. Além de São Paulo e Rio, a marcha está proibida em Salvador (BA), João Pessoa (PB), Cuiabá (MT), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF) e Curitiba (PR).

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u398327.shtml

Nenhum comentário: