Minha Homenagem a Praia de Atafona






"Certa manhã, acordei com o mar à minha porta. Eu era o último habitante de Atafona (ou do que restara dela) ainda presente no local. Olhei pela janela e vi que as ondas já tocavam, lambiam suavemente as paredes da pensão de D. Lurdes. ...Embebido em um conformismo absoluto, eu senti meus pés se molharem : a água estava cálida e convidativa. Àquela altura, o mar já entrava em casa barulhento, sem a menor cerimônia, como um velho amigo a me visitar. Fortes cascatas brotavam das frestas das janelas e das rachaduras, já numerosas, nas paredes ( que teimavam em resistir, inutilmente). De repente, num estrondo, tudo veio abaixo. A construção ruiu. Eu simplesmente deixei-me levar pelo mar, que me envolvia, me abraçava com sua água docemente salgada, morna. Foi como se eu tivesse voltado ao útero materno. Momento sublime, eterno , apoteótico." Para Além Do Mar De Atafona / Maurício Mota Saboya Pinheiro / Atafona, 18 de maio de 1995.

3 comentários:

passarinho disse...

Sepé,
Estou conhecendo o seu blog. Gostei e espero que continue assim.
Sobre o texto do Maurício Saboya, ele está completo ou faz parte de algo maior? Foi publicado? Onde?
De qualquer forma, foi muito bom que você tenha nos proporcionado conhecê-lo, do tamanho como postado.
Passarinho

fabianoseixas disse...

Bom Dia!
Agradeço pela visita ao blog!
É um espaço que venho procurando construir de forma coletiva junto aquelas pessoas que buscam novas formas de informação, onde existe o que julgo importante nos tempos atuais, a interatividade, como acontece neste momento.
Encontrei o trecho numa pesquisa no site:

http://br.geocities.com/zuritageo/atafona.htm

Queria informações e fotos da Atafona antiga, uma praia que faz parte da história da minha vida, bons momentos vividos naquele lugar, amizades construídas, pescarias com familiares e amigos.

Gostei muito do texto, resolvi postá-lo da forma que o encontrei, sem fazer alterações.
Estou em busca do conteúdo dele em completo teor, assim que encontrar, procurarei disponibilizá-lo, com a devida permissão do autor ou por delegação dos responsáveis pela obra.

Um abraço!
Retorne sempre e sinta-se convidado para partir da construção deste espaço!

Abraços!
Fabiano!

fabianoseixas disse...

Encontrei o texto completo no site: Confira o texto integral em:
www.revistapublique.com.br/Pub001/ct_Atafona.html

Abs!
f!