"O esporte é o único elemento que perpassa conflitos políticos"

“O esporte é o único elemento que perpassa conflitos políticos. Exemplo disso são as olimpíadas em que delegações de países inimigos declarados convivem em harmonia”. Assim Luciano Cabral, presidente da Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU), definiu o poder de integração da prática esportiva.

A mesa que discutiu o tema reuniu também o representante da Rede Globo de Televisão Fabiano Oliveira, uma das fundadoras da Central Única das Favelas (CUFA) Nega Giza, Fabiana Costa do Centro de Estudos e Memória da Juventude (CEMJ), Luiza Rangel do ministério dos Esportes, Elias Dourado, da secretaria de trabalho e esportes da Bahia e o diretor da UNE, Alcides dos Anjos Leitão (Jesus).

Fabiana Costa apresentou os resultados relativos ao esporte da 1ª Conferência Nacional de Juventude. Segundo ela, esta foi a 5ª prioridade eleita pelos participantes, entre 22 pautas. “O esporte é um importante elemento de transformação social e os jovens apontaram a necessidade de mais investimentos e ampliação de ações voltadas para o fomento da prática esportiva”.

Nega Giza falou da trajetória da formação da Liga Brasileira de Basquete de Rua (Libra). “Começamos pelo caminho inverso. Primeiro praticamos e depois teorizamos o esporte. Atualmente a Libra une esporte, cultura, integração social e entretenimento”.Após ressaltar o esporte sob a ótica social, a representante do ministério dos Esportes concluiu: “Os investimentos em esporte geram um importante resultado a curto prazo, a diminuição da violência”.

Nenhum comentário: