Quinto dia: Diários de uma Bienal

23/01
Hoje o dia ficou livre, só teve a conferencia do tema da Bienal “Raízes do Brasil: Formação e Sentido do Povo Brasileiro” no meio da tarde.
Conhecer a famosa tarde em Itapuã foi a idéia de uma parte da galera. Chegando lá o sol estava perfeito, junto com a paisagem ficou mais perfeito ainda, tivemos um bom atendimento, como em todos os lugares que fomos. Essa é uma das características do povo baiano, a hospitalidades e o carinho com os turistas. Eles ajudam com a parte da segurança, se é perigoso se não é, pra tomar cuidado e também a nos levar para o nosso destino.
Experimentei o tal acarajé. No primeiro momento não vi nada de mais, só que começou a ficar frio e o gosto não foi ficando muito agradável, foi ficando gosmento. Tudo bem que o tempero é totalmente diferente que estamos acostumados, mais dependendo de quem faz o acarajé o turista gosta
Fomos à Igreja do Senhor do Bonfim. Fiquei pasma quando o vendedor de crucifixo disse que a escadaria da Igreja era montagem! A escada tem apenas cinco degraus! A única coisa que tem é uma ladeirinha.

Nenhum comentário: