Cine Teatro Trianon

Campos dos Goytacazes é a terra dos assassinatos culturais, vide a destruição da Praça São Salvador, da Estátua em Homenagem ao Índio Goytacá no Portal da Cidade, o abanono do Museu de Campos, do Prédio da Lyra de Apolo e suas bandas seculares, dos painéis do Corredor Cultural em homenagem a cultura africana, aos escravos que ajudaram a construir esta cidade e projetá-la no cenário nacional.
Não existe nada que faça lembrar os índios goytacazes, creio que existam apenas algumas urnas que foram encontradas no bairro do Caju e por não existir um museu descente na cidade, foram levadas para o Rio de Janeiro.
Seria melhor até tirar os Goytacazes do nome da cidade, é uma homenagem que leva nada a lugar nenhum.
Campos é dos brancos, dos negros, dos índios, dos amarelos, dos verdes, Campos é de todos os povos!
O antigo teatro Trianon, era localizado no Boulevard Francisco de Paula Carneiro, bem no centro da cidade de Campos dos Goytacazes, era o centro baluarte da cultura Goytacá.
Uma obra prima prima em estilo clássico, de beleza indescritivel, só avalizada pelos puderam conhecer o Trianon, assistir filmes, óperas e peças teatrais em seu luxuoso ambiente.
Tal obra-prima sucumbiu diante da cobiça dos homens e da apatia de uma cidade e seu poder público.
O Cine Teatro Trianon foi demolido, sua história e suas glórias reduzidas a pó para que viesse em seu lugar o Banco Bradesco, com a frieza dos seus números e lucros cada vez maiores.
Uma das poucas vozes que se levantaram foi o Marcos Scafura, que se manifestou contra a destruição do “Palácio dos Sonhos” e a lutar pela reconstrução do Teatro Trianon.
Foi a primeira e única voz durante muito tempo, foi o precursos do movimento para a reconstrução do Trianon.
Lutou até o último dia de vida, morreu sem ver seu sonho realizado.
Outros seguiram adinte o Trianon foi reconstruido em outro local, sem jamais chegar perto da grandiosidade clássica do original.
No Trianon de hoje não existe nem uma placa em sua homenagem.
È a máxima: Santo de Casa não faz milagres.
Quando começou sua luta, muitos chamaram-no de sonhador, que mais jamais outro Trianon seria construido, mas o sonhado deixou sementes.
Hoje, o tetro Trianon, foi reeguido em nova roupagem, mas não o mesmo glamour do anterior, tendo em vista o deserto cultural que assola a planície Goytacá.
Poucos são os investimentos na criação de novos talentos, se não fosse a Cia Persona de Teatro e o Projeto desenvolvido no SESI, acho que o teatro em Campos estaria morto.
Ps. Creio que o projeto original foi do Arquiteto Oscar Niemeyer foi substituido por um projeto prata da casa feito por um dos envolvidos/detidos na "Operação Telhado de Vidro".

3 comentários:

Blog Vitor Longo disse...

Amigo Sepézinho,

Estou adorando suas postagens. Você nessa sua humildade e competencia tem se mostrado um verdadeiro jornalista, blogueiro.

Acho que seu caminho vai dar (sem trocadilho) na Comunicação Social.

SUCESSO e vamo que vamos, como diz o mestre Roberto Moraes.

fabianoseixas disse...

:0
Estou rindo até agora!
:)
Mas se estivesse na pasta da CS, teria apenas estátuas com genitálias femininas bem expostas! :)

Acho faria um bom trabalho se estivesse a frente da Secretaria de Planejamento ou numa possível Secretaria para a Juventude!
Os jovens estão em buscas de novas oportunidades, nos campos educacionais, profissionais e até mesmo esportivos, principalmente nesta área que você conhece muito bem.
Muito foi investido na contratação de atletas de renomes, alguns deles até participantes de Seleções Brasileiras, mas se esqueceram de fazer o trabalho de base, a criação das escolinhas, o incentivo a formação de novos talentos.
Realmente Campos precisa despertar, é hora de nos unirmos em buscas de novos lideres, homens com ética, integros, capazes de administrar os recursos públicos pensando no coletivo, não apenas pensando no acúmulo de bens e riquezas.
Esta semana, tenho pensado bastante em nossa cidade, em tudo de ruim que temos presenciado nos últimos tempos.
Sou totalmente a favor numa nova Lei para a gestão dos royalties do petróleo.
Hora mais que oportuna da sociedade civil organizada fazer valer um Plano Diretor com ações positivas, voltadas para o desenvolvimento e crescimento da econômia, criação de novos postos de trabalhos.
Quer ver como anda a saúde em Campos?
Vai a noite naquela rua ao lado de Sangue Bom para ver quantas pessoas madrugam na fila para marcar médico na Santa Casa de Misericórdia.... Só mesmo a misericórdia divina para sustentar o nosso sofrido povo da Campos que era dos índios goytacazes!
Um abraço!
Vamos que vamos!

Luísa Lisboa disse...

Não gostei muito do seu post de Campos dos Goytacazes e se tirassemos o Goytacazes ficaria só Campos e todo mendo iria pensar que a minha cidade é uma roça!