TRF mantém Mocaiber fora

Arte sob pixação no muro do CEFET Campos

O presidente do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, desembargador Joaquim Antônio Castro Aguiar, negou ontem o pedido de suspensão de liminar impetrada pelos advogados do prefeito afastado Alexandre Mocaiber (PSB). Um dos advogados de Mocaiber, João Batista Oliveira disse na noite de ontem que vai recorrer da decisão para tentar restituir o cargo ao prefeito.

"Vamos recorrer. Está indeferido, mas vamos recorrer no próprio Tribunal”, disse o advogado enquanto lia a decisão do presidente do TRF.
Alexandre Mocaiber foi afastado desde o último dia 11, durante a “Operação Telhado de Vidro”, por força de liminar do juiz Fabrício Antônio Soares, da 1ª Vara Federal de Campos. Ele é acusado pelo Ministério Público Federal de participar e se beneficiar com um esquema de corrupção que desviava verbas federais da Prefeitura de Campos. A “quadrilha”, como define o Ministério Público Federal, teria desviado R$ 240 milhões dos cofres públicos.

Entre os 14 presos no dia 11 continuam detidos, cumprindo prisão preventiva, Alex Pereira Campos, ex-procurador geral do município; Francisco de Assis Rodrigues, ex-gerente geral da prefeitura; Edílson de Oliveira Quintanilha, ex-secretário de desenvolvimento; Ricardo Luiz Paranhos Pimentel, presidente da Cruz Vermelha; Geraldo Seves, empresário; Marco Antônio França, presidente da Fundação José Pelúcio e José Renato Guimarães, presidente da filial da Cruz Vermelha de Nova Iguaçu.

O atual prefeito afastado foi eleito em 2006 para mandato tampão de dois anos, mas antes do término, também foi afastado por força de liminar judicial deferida pela 1ª Vara Federal de Campos a pedido do Ministério Público Federal.
Ele é suspeito de integrar uma quadrilha que desviava verbas dos cofres da Prefeitura de Campos. O rombo, segundo o Ministério Público Federal, seria de R$ 240 milhões.

Nenhum comentário: