Relatório sobre o Endosulfan


No site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária encontram-se informações sobre o Endosulfan, clique aqui

Recomendações (Agricultura)

INSTRUÇÕES DE USO DO PRODUTO: ENDOSUFAN 350 CE MILENIA é um inseticida, que contém como ingrediente ativo o Endosulfan 350 g/l, do grupo químico Éster do ácido sulfuroso de dial cíclico, que atua nos insetos por ação de contato e ingestão.

CULTURAS E PRAGAS CONTROLADAS: O inseticida ENDOSUFAN 350 CE MILENIA é recomendado para o controle de pragas nas culturas de algodão, café, cana-de-açúcar e soja.

MODO DE APLICAÇÃO: Algodão, café e soja: Endosulfan 350 CE deve ser diluído em água para aplicação. Aplicar por pulverização nas culturas através de equipamentos terrestres.

Cana-de-açúcar: Diluir em água para aplicação. Aplicar por pulverização no sulco de plantio, sobre os toletes de cana. Cobrir os toletes com uma camada de terra.

INÍCIO, NÚMERO, ÉPOCAS OU INTERVALOS DE APLICAÇÕES: Algodão e Soja: Iniciar as aplicações quando o ataque alcançar o nível de dano econômico. Reaplicar quando atingir este nível. No caso do bicudo do algodão, aplicar quando 10% dos botões florais apresentarem-se perfurados. Café: Aplicar no início da infestação de pragas, fazendo no máximo duas aplicações. Cana-de-açúcar: Aplicar logo após o plantio dos toletes antes de cobri-los com terra.

INTERVALOS DE SEGURANÇA (período que deverá transcorrer entre a última aplicação e a colheita): Algodão e Soja: 30 dias. Café: 70 dias. Cana-de-açúcar: não determinado devido à modalidade de uso.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: Recomenda-se aguardar o completo secamento do produto sobre as folhas tratadas. Aguardar pelo menos 7 dias para reentrada na lavoura, evitando-se sempre que possível que pessoas alheias ao tratamento com a cultura e animais domésticos circulem pela área tratada.

LIMITAÇÕES DE USO: Uso exclusivo para culturas agrícolas. Não é permitido a mistura de tanque deste produto com outro produto fitossanitário. Não misturar com produtos de reação alcalina, como a calda bordalesa. Fitotoxicidade para as culturas indicadas: ausente, se aplicado de acordo com as recomendações.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO: Utilizar equipamentos terrestres e aéreos de pulverização. Algodão, café e soja: Via terrestre: Volume de calda: 100 a 200 l/ha. Tipo de bico: tipo cônico. Densidade de gotas: 240 a 1900 gotas/cm2. Tamanho de gotas: 100 a 200 micrômetros. Via aérea: Volume de calda: 30 a 40 l/ha. Bicos: cônicos. Altura de vôo: 2,0 a 3,0 metros. Velocidade de Ventos: até 6 km/hora. Umidade relativa do ar: até 70%. Temperatura: até 30 ºC.

CANA-DE-AÇÚCAR: Volume de calda: 300 a 400 l/ha. Bicos: tipo leque série 80 ou 110. Pressão: 40 a 60 lb/pol2. Velocidade de Ventos: até 6 km/hora.

As condições de aplicação poderão ser alteradas de acordo com as indicações do Engenheiro Agrônomo ou técnico responsável.

FITOTOXICIDADE PARA AS CULTURAS RECOMENDADAS: Seguindo as instruções de uso, o produto não apresenta fitotoxicidade às culturas registradas.

OUTRAS LIMITAÇÕES A SEREM OBSERVADAS: Evitar a aplicação do produto nas horas mais quentes do dia, em dias chuvosos e/ou sob condições de ventos fortes. Períodos com estiagens prolongadas e calor excessivo podem reduzir o período de controle e a eficiência do produto. Recomenda-se observar sempre o período de carência para cada cultura, conforme indicações na bula do produto. ENDOSUFAN 350 CE MILENIA é incompatível com calda bordalesa, arseniato de cálcio e calda sulfocálcica. O produto não deve ser misturado a águas alcalinas (pH maior que 7,0) resultando em redução de sua estabilidade.

Recomendações (Saúde)

PRECAUÇÕES GERAIS: Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não utilize equipamentos com vazamento. Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: Use protetor ocular. Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use máscara cobrindo nariz e boca. Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use luvas de borracha. Ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Ao abrir a embalagem, faça-o de maneira a evitar respingos. Use macacão com mangas compridas, chapéu de aba larga, avental impermeável e botas.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Evite o máximo possível, o contato com a área de aplicação. Não aplique o produto contra o vento. Use macacão com mangas compridas, chapéu de aba larga, luvas e botas.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não reutilize a embalagem vazia. Mantenha o restante do produto adequadamente fechado, em local trancado, longe do alcance de crianças e animais. Tome banho, troque e lave suas roupas.

MECANISMOS DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO: A absorção do produto se dá por via oral, dermal e também inalatória. O endosulfan é capaz de se distribuir através do plasma concentrando-se principalmente nos pulmões. Os metabólitos de endosulfan se acumulam nos tecidos, especialmente fígado e rins, conforme experimentos com diferentes espécies animais. A excreção se dá especialmente através das fezes, ocorrendo também na urina e bile.

EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS: Dores de cabeça, confusão mental, náuseas, vômitos, fraqueza nas pernas, tremores e convulsões que indicam envolvimento do sistema nervoso central como possível sítio de ação.

EFEITOS COLATERAIS: Os efeitos incluem convulsões crônicas, agitação, vômitos, convulsões tônicas, dispnéia, cianose e coma.

PRIMEIROS SOCORROS: Ingestão: Não provoque vômito, procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. Olhos: Lave com água em abundância e procure o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. Pele: Lave com água e sabão em abundância e procure o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. Inalação: Procure local arejado e procure o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.

ANTÍDOTO: Não existe antídoto específico, tratamento sintomático e de suporte especialmente contra convulsões e anóxia. Morfina e seus derivados, epinefrina e noradrenalina JAMAIS deverão ser utilizados.

TRATAMENTO MÉDICO: O uso de eméticos é contra-indicado, recomenda-se uma cuidadosa lavagem gástrica evitando uma possível aspiração para os pulmões. Esta lavagem deve ser seguida pela administração intragástrica de carvão ativado e magnésio ou sulfato de sódio em solução aquosa a 30%. Administração de gorduras, leite ou óleos é contra-indicado. Purgativos oleosos são igualmente contra-indicados. Em caso de convulsões podem ser administrados anti-convulsivantes como diazepam, tiopental sódico ou hexobarbital sódico. Em caso de pneumonite química recomenda-se o uso de antibióticos e corticosteróides.

Recomendações (Meio Ambiente)


PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO A PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é ALTAMENTE PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE I). Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente. Este produto é ALTAMENTE BIOCONCENTRÁVEL em peixes. Este produto é MUITO TÓXICO para minhocas. Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para organismos aquáticos. Este produto é MEDIANAMENTE TÓXICO para aves. Evitar que aves se alimentem em áreas tratadas. Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para abelhas expostas à aplicação direta. Não aplicar o produto no período de maior visitação (presença) das abelhas, aproximadamente das 9:00 horas às 16:00 horas. Este produto é ALTAMENTE IRRITANTE aos olhos de mamíferos. É PROIBIDA a aplicação deste produto em áreas alagadas ou sujeitas a inundação por causar danos ao meio ambiente, quando aplicado nesses locais. Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamentos. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Aplique somente as doses recomendadas. Não execute a aplicação aérea de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância inferior a 500 (quinhentos) metros de povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público e de 250 (duzentos e cinqüenta) metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de animais e culturas suscetíveis a danos. Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal concernentes às atividades aeroagrícolas. Não lave embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto.

PROCEDIMENTOS PARA REDUZIR A CONTAMINAÇÃO DE ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS: Este produto pode ser uma fonte de contaminação de ecossistemas aquáticos, como resultado do carreamento de terras agrícolas, principalmente, durante os períodos de fortes chuvas, bem como pela sua deriva. Para diminuir o provável impacto adverso em ambientes aquáticos e para controle da deriva, as seguintes condições deverão ser observadas para aplicação deste produto. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Não aplicar durante a irrigação e não irrigar nas 72 horas seguintes à aplicação. Não aplicar o produto próximo de rios, riachos, córregos, lagos, estuários, açudes, represas, áreas alagadas ou sujeitas à inundação. Em aplicações tratorizadas e costais, devido à possibilidade de carreamento (deslocamento superficial) do endosulfan, não aplicar o produto a uma distância menor que 100 metros de rios, riachos, córregos, lagos, estuários, áreas alagadas ou sujeitas à inundação. Todo equipamento de aplicação deve ser adequadamente mantido e calibrado, usando bicos apropriados. Não realizar aplicação durante inversões térmicas. Fazer aplicação quando a velocidade do vento favorecer a correta deposição do produto sobre a cultura (vento ideal é de 6 km/hora). Não aplicar quando a velocidade do vento exceder 10 km/hora e nem quando for inferior a 3 km/hora. Não descarregar o produto a uma altura maior que 3 metros acima da cultura.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES: Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Isole e sinalize a área contaminada. Contate as autoridades locais competentes e a Empresa. Utilize o equipamento de proteção individual - EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Em caso de derrame, estancar o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos de águas naturais. Siga as instruções: Piso pavimentado: coloque material absorvente (p.ex. serragem ou terra) sobre o conteúdo derramado e recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. Remova conforme orientações de destinação adequada de resíduos e embalagens. Lave o local com grande quantidade de água; Solo: retire as camadas de terra contaminadas até atingir o solo não contaminado e adote os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada; Corpos d'água: interrompa imediatamente a captação para o consumo humano e animal e contate o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido. Em caso de incêndio use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

DESTINAÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS E EMBALAGENS: As embalagens devem ser enxaguadas três vezes e a calda resultante acrescentada à preparação para pulverização (tríplice lavagem). Não reutilize embalagens. As embalagens devem ser perfuradas, de maneira a torná-las inadequadas para outros usos (Obs: exceto em caso de existência do recolhimento das mesmas pela empresa). Observe as legislações Estadual e Municipal específicas. Fica proibido o enterrio de embalagens. Consulte o Órgão Estadual de Meio Ambiente.

MÉTODO DE DESATIVAÇÃO DO PRODUTO: Incineração a 900ºC, com um fluxo de 300 kg/hora. A descontaminação química pode ser feita com cloreto de cálcio, contendo 60 a 70% de cloro ativo e solução de hidróxido de sódio a 33%. A neutralização final é feita com tiosulfato de sódio.

Embalagens


Embalagens: 1, 5, 10, 20, 50, 100, 200, 10.000, 15.000, 20.000 e 25.000 litros. 100 galões.

Um comentário:

Anônimo disse...

Resumindo o processo de envenenamento ambiental é irreversível. Os resíduos venenos ficarão pelas margens por anos e anos.
Sem palavras só LUTO!