Cultura e Arte: Desafios para quem quer uma outra cidade

Marco da Fundação de Campos dos Goytacazes - Igreja de São Francisco de Assis

O fim de semana vai se aproximando e o blogueiro, continua apreciando o fato material disponibilizado 0800 nos stands da Tenda de Idéias no Fórum Social Mundial, e a bola da vez foi a Revista Trimestral de Debate da Fase, intitulada: Proposta . edição no 109, de Jun/Ago de 2006, cuja tema eram as Novas Dinâmicas Culturais: políticas e redes, dentre o inúmeros artigos, compartilho o Cultura, Arte e Cidade desafios para quem quer uma outra cidade, escrito pelo Aércio de Oliveira, educador da Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional – FASE. Contato: aercio@fase.org.br, seguem abaixo alguns trechos:


“Cidade ambiente em que tecem os nossos dramas e tramas, em si já é uma obra cultural e artística resultado das mãos e do pensamento humano. Espaço que se transformou em lugar de casas, prédios, praças e industrias. Não nos basta apenas pensar no conforto e descanso que a casa é capaz de assegurar depois de horas de labuta. Dentro dos recursos disponíveis, posso ter uma casa com janela redonda, quadrada ou retangular: nesta edificação podem predominar linhas retas ou sinuosas, pode ser revestida de pedra ou azulejo, pintada com tons quentes ou frios. Nunca nos contentamos com uma casa simplesmente para morar. Por fora ou por dentro deixamos nossa marca. Fato que evidencia, mesmo com a controvérsia entre as escolas de arquitetura, que a cultura e a arte são elementos construtivos da cidade. Para evitar qualquer equívoco vale destacar que fora da cidade também se produz cultura e arte. As cidades, após tantas transformações que atravessaram, tornaram-se territórios privilegiados para a troca de mercadorias, produções materiais e simbólicos. Mas boa parte das nossas cidades tem significado para muitos uma m obra. Parece ser a chegada do inferno na terra e, para poucos, o paraíso. O que significa o quão é frágil à idéia de que arte é representação do belo. Um principia milenar que at:e hoje serve de argumento para discriminações. A arte, como fato social, é um ato arbitrário, fruto das escolhas humanas. Esta no campo dos valores que são social e historicamente elaborados, tais como o de justiça, equidade, dignidade humana, preservação da vida presente e futura."

“As cidades brasileiras são obras que tem a marca da desigualdade. São distantes dos valores que consideramos capitais para a existência humana. Ou como diriam os “modernos”: nossas cidades são impróprias para a realização da nossa natureza humana e social. Das partes mais agradáveis destas obras, sejam elas naturalmente ou socialmente construídas, poucos conseguem desfrutar. Mas dentro delas, vicejam outras obras, seja elas naturalmente ou socialmente construídas, poucos conseguem desfrutar. Mas dentro delas, vicejam outras obras artísticas que as denunciam e procuram transformá-la; que se rebelam contra a brutal desigualdade. Refiro-me a arte produzida nas periferias das nossas cidades.

Nenhum comentário: