Protesto Rasta


Você que gosta de reggae de verdade, a partir de hoje não vai mais usar o nome “negro” para seu conterrâneo. Porque nosso ídolo maior Bob Marley nunca usou essa palavra em nenhuma de suas inúmeras canções.
Isso porque lá na Jamaica, e em todas as outras partes do mundo, essa palavra não é mais usada oficialmente.
A lei do ventre livre foi assinada, isso quer dizer que os filhos de mães negras (escravas) não serão mais tratados como negros. Essa palavra foi usada somente para rebaixar as pessoas. Por exemplo, numa família branca, o bom filho é xodó, o mau filho é chamado ovelha negra, e dali não tem mais moral na família. Lista negra, o dia negro, câmbio negro, mercado negro, vala negra, língua negra, humor negro, buraco negro, magia negra, e até a fome é negra. A raça negra é aquela criada no navio negreiro, a base de humilhação de todo tipo – sim, essa raça foi criada para ser uma mercadoria.

A origem dessa palavra é espanhola que quer dizer preto. Na verdade, o mundo inteiro usa a palavra preto e branco para identificar seus cidadãos. Esse negro foi adaptado pelos negreiros (que quer traficante de escravo) no mundo inteiro só para promover a escravidão. Graças à Deus esses tempos já passaram e o mundo inteiro já apagou esse maldito nome.
Já está na hora Brasil, o que em que a liberdade reinará de verdade e a bandeira desse país brilhará muito mais ainda.
Por favor, não leve esse protesto como racial, Mas sim como um chamado à modernização porque o mundo está se modernizando a cada dia.
Te amo Brasil.
Texto disponível na contra capa do CD The Ambassador de Nabby Clifford

Nenhum comentário: