Cronologia: relações entre Geórgia e Ossétia do Sul

artilharia georgiana voltou a abrir fogo neste sábado às 13h55 (6h55 de Brasília) contra Tsjinvali, capital da Ossétia do Sul, informou uma agência russa
Caça russo despeja bombas em tropas georgianas na cidade de Tskhinvali
Comboio de blindados russos se dirige a Tskhinvali, capital da Ossétia do Sul
De acordo com os dados oficiais, em três dias de combates, as forças georgianas tiveram cerca de 50 baixas e aproximadamente entre 470 e 480 feridos
Edifício na cidade de Gori foi atingido por ataque aéreo russo

Intensos combates eram travados, na sexta-feira, dentro e nas cercanias da capital da Ossétia do Sul, uma região separatista da Geórgia, enquanto soldados e aviões georgianos tentavam retomar o controle sobre a área.

Os separatistas contam com o apoio político e financeiro da Rússia. Leia abaixo uma cronologia com os principais acontecimentos envolvendo a Ossétia do Sul:

Novembro de 1989 - A Ossétia do Sul declara sua autonomia em relação à República Socialista Soviética Georgiana, detonando um conflito de três meses.
Dezembro de 1990 - A Geórgia e a Ossétia do Sul dão início a um novo conflito armado que dura até 1992.
Junho de 1992 - Líderes da Rússia, da Geórgia e da Ossétia do Sul reúnem-se em Sochi, assinam um armistício e acertam a criação de uma força de paz.
Novembro de 1993 - A Ossétia do Sul elabora sua própria Constituição.
Novembro de 1996 - A Ossétia do Sul elege seu primeiro presidente.
Dezembro de 2000 - A Rússia e a Geórgia assinam um acordo para recuperar a economia da zona de conflito.

Dezembro de 2001 - A Ossétia do Sul elege Eduard Kokoity como presidente. Em 2002, ele pede ao governo russo que reconheça a independência da região e que a absorva.
Janeiro de 2005 - A Rússia dá um apoio reservado ao plano da Geórgia de conceder autonomia ampla à Ossétia do Sul em troca de a região deixar de lado seus planos de independência.
Novembro de 2006 - Em um referendo, a Ossétia do Sul aprova com larga margem de votos sua separação da Geórgia. O primeiro-ministro georgiano diz que a manobra é parte de uma campanha russa para provocar uma guerra.
Abril de 2007 - O Parlamento da Geórgia aprova uma lei para criar uma administração temporária na Ossétia do Sul, gerando tensão com a Rússia.
Junho de 2007 - Os separatistas da Ossétia do Sul dizem que a Geórgia atacou Tskhinvali (capital da região) com morteiros e disparos realizados por franco-atiradores. O governo georgiano nega.

Outubro de 2007 - Interrompem-se as negociações patrocinadas pela Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) e realizadas pela Geórgia e pela Ossétia do Sul.

Março de 2008 - Depois de o Ocidente ter dado apoio à secessão de Kosovo da Sérvia, a Ossétia do Sul pede que o mundo reconheça sua independência da Geórgia.

Março de 2008 - A tentativa da Geórgia de ingressar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), apesar de mal sucedida, leva o Parlamento da Rússia a conclamar o governo russo a reconhecer a independência da Ossétia do Sul e da Abkházia, outra região separatista.

Abril de 2008 - A Ossétia do Sul rejeita um acordo de compartilhamento de poder sugerido pela Geórgia e insiste na opção da independência total.

Agosto de 2008 - Forças georgianas e da Ossétia do Sul começam a se enfrentar. A Geórgia diz que suas forças "libertaram" a maior parte da capital da Ossétia do Sul.
Reuters

Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.

Nenhum comentário: