Medalha de ouro para Maurren Maggi

Maurren Maggi salta 7,04m, supera russa por 1 cm e torna-se a primeira brasileira a conquistar o ouro em esportes individuais

A brasileira Maurren Maggi inaugurou a final do salto em distância logo com uma excelente marca, de 7,04, que lhe garantiu a medalha de ouro, já que nenhuma atleta a superou nos seis saltos seguintes. Mas foi por muito pouco. A russa Tatyana Lebedeva saltou 1 cm a menos que a brasileira, ficando com 7,03m.

O bronze vai para a nigeriana Blessing Okagbare.
"Não tinha certeza, quando saltei pensei que podia acabar a prova agora. Foi um salto meio sofrido, tava esperando mais. A Lebedeva vinha para cima e eu queria saltar mais", disse.
Foi a segunda medalha individual feminina conquistada na história dos Jogos.

O outro foi o da judoca Ketleyn Quadros, que levou o bronze ainda em Pequim. Mas Maurren levou a primeira de ouro das mulheres.
"Eu vejo que Brasil acreditou em mim, na minha força de vontade. Pra mim não caiu a ficha, só quando eu ouvir o hino nacional brasileiro", comemorou emocionada.
A marca de 7,04m foi a no ano da atleta e a segunda melhor marca do ano no mundo, ficando atrás apenas dos 7m12 da portuguesa Naide Gomes - que ficou fora da final.
Já Keila Costa, outra representante do Brasil na final, queimou as suas duas tentativas e não foi à fase final.
O resultado fez o Brasil dar um salto no quadro de medalha, pulando da 38° para a 26° posição.


Drama


Maurren Maggi ficou fora do Pan-americano de Santo Domingo por ter sido flagrada no exame antidoping às vésperas dos Jogos, o que causou dois anos de suspensão. Nesse tempo, ela parou de treinar, teve uma filha com o piloto Antônio Pizzonia e voltou às pistas em 2006.
"É a realização de um sonho de uma filha. É o resultado de uma luta, de um trabalho. Queria que todo mundo tivesse esse privilégio, essa alegria", disse o pai de Maurren, em entrevista à TV Globo.

Nenhum comentário: