Alunos reclamam de bolsa universitária


Segundo reclamações de alguns universitários da Faculdade Estácio de Sá, realizar a rematrícula agora no segundo semestre do ano letivo está sendo complicado. Enquanto as demais universidades da cidade inscritas no Programa de Bolsa Universitárias de Campos (ProCampos) já receberam a listagem com a classificação dos alunos beneficiados com a bolsa, alunos da Estácio inscritos no programa estão sem nenhum parecer. Segundo um dos alunos e Presidente do Centro Acadêmico da Estácio, Bruno Ribeiro, 26 anos, além da incerteza do benefício, os cerca de 1.000 alunos que se inscreveram não conseguem obter informações precisas sobre a situação.
O diretor do ProCampos, Leonardo Cerqueira, explicou que toda essa demora é o resultado de um problema administrativo na universidade, que atrasou na prestação de contas este ano e só a apresentou em abril, sendo que o prazo era em março. Segundo ele, isso teria acarretado vários atrasos burocráticos e, assim, complicado a renovação do convênio.
“Uma data exata ainda não pode ser definida. No entanto, os alunos podem ter certeza de que a bolsa sairá. A verba existe e ela tem que ser utilizada. Todo esse trâmite é exigido pelo Ministério Público e será resolvido pela Procuradoria e a Controladoria com a Universidade Estácio de Sá”, esclareceu.
Em relação à dívida dos estudantes com a instituição, é devido à questão de que somente a cerca de um mês a listagem dos alunos beneficiados com a bolsa foi liberada pela prefeitura, ou seja, desde o início do ano, inúmeros universitários estariam com suas mensalidades atrasadas. Segundo o universitário e presidente da comissão acadêmica da faculdade, Bruno, sem quitar essa dívida é impossível retornar com os estudos. “A dificuldade da reematrícula seria devido ao débito de alguns alunos com a universidade, que não permite efetuar um novo contrato com o aluno antes que esse quite o valor em atraso”, disse.
Quanto ao problema ter sido causado por motivos políticos em época de eleição, o diretor do programa, Leonardo, esclareceu que essa situação já existia.

Nenhum comentário: